Acesse!


BRPRESS NO TWITTER

FESTIVAL - SWU para menores
Qui, 27 de Outubro de 2011 18:43

ILUSTRAÇÃO - Mapa do Festival SWU, que este ano, acontece ...

(Paulínia/SP, BR Press) - Que atire a primeira pedra o pai (ou a mãe) que nunca hesitou quando um filho adolescente pediu para ir a um show de rock. A imagem de hordas de gente descontrolada e da falta geral de estrutura deixam apreensivo quem é responsável por um menor de idade que só quer curtir seu músico favorito ao vivo. São essas imagens que os organizadores do SWU garantem não condizer com o que acontecerá entre 12 e 14 de novembro no Parque Brasil 500, em Paulínia, interior de São Paulo.

Assim como na edição passada, o festival tem censura mínima de 14 anos (se estiver acompanhado de um dos pais ou responsáveis legais). Mas a novidade é que, esta semana, o festival baixou para 16 a idade mínima para entrar descompanhado de um adulto. Ou seja: está abrindo o leque para menores e apostando num público que sonha em curtir um festival de rock e ainda acampando com os amigos (coisa para a qual os mais crescidinhos torcem o nariz).

Documento e acesso

Um dos realizadores do festival junto com o idealizador, o publicitário Eduardo Fischer, Rafael Miranda é responsável pela logística de ingressos e avisa: sem documento, não entra. "Quem tiver 14 e 15 anos só entra acompanhado do responsável legal ou dos pais, com conferência da autorização por escrito e dos documentos na porta de entrada", explica.

Miranda também revelou que os mais jovens terão entrada diferenciada. "Haverá 35 catracas em dois acessos, sendo que uma parte delas será destinada à entrada do público mais novo. Além de tornar mais tranquilo para eles e para os pais, essa iniciativa facilita a conferência das autorizações", comentou.

Perdidos e achados

Ainda de acordo com Miranda, quem se perder dos pais ou responsáveis não precisará se desesperar. "Teremos vários promotores espalhados pelo festival para dar suporte, informação e assistência. Em qualquer caso, basta procurar qualquer um dos nossos contratados, que estará devidamente uniformizado. Quem se perder pode procurar por qualquer um desses promotores. Eles estarão treinados para encaminhar quem quer que seja para o lugar certo", afirmou.

Quando questionado sobre o tema, Eduardo Fischer ressaltou a importância de investir tanto em segurança quanto nas atrações. "O que organizamos não é 'só' um festival. O SWU representa o engajamento e a celebração do movimento. Como isso poderia ser feito sem que a tranquilidade imperasse na ida, na vinda e na estadia?", questionou.

"Além do público, vamos receber aqui inúmeros políticos, cientistas, artistas, gente de todo o mundo. Como não é mais nossa primeira vez, é natural que haja evolução em todos os principais quesitos necessários pra fazer um evento desse porte, e segurança sempre será um quesito prioritário pra nós", disse.

Drogas

Com posicionamento contrário à vista grossa para o uso de drogas no festival, a organização deixa bem claro que é proibida a entrada e a utilização de substâncias ilícitas. Quem tentar entrar com drogas vai ser barrado e encaminhado à delegacia.

Apesar da repressão, algumas das maiores atrações do SWU têm uma relação complicada com drogas ilícitas: o rapper Snoop Dog é conhecido por fazer apologia à maconha, enquanto Courtney Love (líder do Hole e viúva de Kurt 'Nirvana' Cobain) e Scott Weiland (vocalista do Stone Temple Pilots) já passarampor incontáveis rehabs por causa de cocaína e derivados.

Quando perguntado sobre a postura da organização com relação à imagem que esses artistas podem passar aos jovens, o diretor artístico do SWU, Theo Vanderloo, diz que o problema real está em casa. "Essa questão depende muito da criação. É uma coisa que vem de casa, das conversas e dos exemplos que os pais dão para os filhos. Se você tem na sua cabeça os seus valores bem definidos e estabelecidos, não é o seu amigo nem o artista X que vai tefazer usar drogas", acredita.

Segurança

A estrutura montada pela organização para evitar a repetição de inúmerosproblemas registrados na edição do ano passado parece refletir um esforço maior para impedir desconfortos. Do lado de dentro, trabalharão 600 policiais militares, 50 policiais civis e 1000 seguranças privados, por dia. Estarão disponíveis postos de atendimento da PM, PC, Conselho Tutelar e Vigilância Sanitária.

Também estarão disponíveis 13 postos médicos (um central, 11 periféricos e um no camping, 150 brigadistas e 17 ambulâncias – cinco delas com suporte avançado).

Acesso

Nos arredores do festival também haverá reforço. A sinalização das estradas será incrementada e 170 controladores de trânsito atuarão junto a um efetivo adicional de 60 policiais rodoviários, nas quatro principais rodovias do entorno.

A localização da rodoviária da cidade de Paulínia (SP) também contribui muito para deixar no passado a angústia da espera interminável durante a volta para casa de carro. Então, ir de ônibus é a melhor pedida: o Parque Brasil 500, onde rola o festival, fica a menos de 200m do terminal rodoviário.

Ingressos

O preço do ingresso de pista é de R$290,00 (inteira) e R$ 145,00 (meia). O passaporte para os 3 dias sai com 15% de desconto: R$ 739,50 (inteira) e R$ 369,75(meia).

Os ingressos para o SWU podem ser comprados pela internet(www.ingressorapido.com.br); pelo Call Center (4003-1212), que funciona de segunda a sábado, das 9h às 22h, e aos domingos e feriados das 11h às 22h; e ainda em 67 pontos de venda espalhados por todo o Brasil.

Quem optar pela compra nos pontos de venda não paga taxa de conveniência. Pelainternet e call center, a taxa de conveniência foi reduzida para 10%, metade do valor cobrado no ano passado.

Formas de pagamento: dinheiro; cartões de crédito (Visa, Mastercard, Diners, Amex,Hipercard, Aura); cartões de débito (Visa electron e Redeshop) e cartão benefício(Nutricash). O pagamento com cartões de crédito poderá ser parcelado em até 6x semjuros.

Mais informações: www.swu.com.br .

(Leandro Moreira/Especial para BR Press)