Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Croqui da escultura The Invisible Enemy Should Not Exist é o projeto de Michael Rakowit: crítica à destruição da arte milenar pelas guerras no Iraque. Foto: DivulgaçãoCroqui da escultura The Invisible Enemy Should Not Exist é o projeto de Michael Rakowit: crítica à destruição da arte milenar pelas guerras no Iraque. Foto: Divulgação

Pública e política

(São Paulo/Londres, brpress) - Evento discute intervenções artísticas urbanas em SP enquanto maior projeto de arte pública do Reino Unido anuncia novos vencedores.

(São Paulo/Londres, brpress) – A arte pública ou urbana sempre gerou controvérsia. Seja a questão do grafite x picho x leis, sejam as obras autorizada pelo poder público e/ou iniciativa privada, seu gosto é sempre duvidoso e discutido (senão lamentado). Ao contrário de metrópoles do mundo desenvolvido, como Londres, que tem o maior projeto de arte pública do Reino Unido (o Fourth Plinth, que acaba de anunciar o artista vencedor de 2017), São Paulo patina quando o assunto é arte urbana. Por isso, iniciativas como o URBE: Conversas e Percursos, são importantes. 

 O URBE acontece de 27/03 a 01/04, no bairro do Bom Retiro –  local que recebeu a edição 2016 da URBE – Mostra de Arte Pública, em novembro do ano passado, com obras dos artistas Guto Requena, Iara Freiberg e Anaisa Franco. É uma semana conta com atividades gratuitas abertas ao público interessado no tripé arte-cidade-arquitetura, com o objetivo  de refletir sobre as proposições acerca da arte pública. Em 2017, a  Mostra acontece no segundo semestre, na região do Largo da Batata.

Política no pódio

O Fourth Plinth escolhe a cada 18 meses , artistas que vão expor na Trafalgar Square, a principal praça de Londres. Este ano, os escolhidos foram Michael Rakowitz e Heather Phillipson, cujos trabalhos serão conhecidos respectivamente em 2018 e 2020, substituindo a escultura Really Good, de David Shrigley – um surreal polegar fazendo sinal de ok de 7 metros de altura –, que pode ser visto até março de 2018. 

The Invisible Enemy Should Not Exist é o projeto de Michael Rakowitz, iniciado em 2006 com o objective de recriar mais de 7 mil artefactos arqueológicos do Museu do  Iraque destruídos durante a guerra ou depois dela. Para o Fourth Plinth, Rakowitz vai recriar o Lamassu, um touro alado que é uma entidade divina protetora que vinha guardando a entrada do Portão Nergal, monumento na região que compreende a cidade mesopotâmica antiga de Nineveh, desde 700 a.C., até ser destruído em 2015 pelo Estado Islâmico, juntamente com outras peças no Museu de Mossul. A obra será toda feita com  latas usadas de uma espécie de mel iraquiano, representando como  a indústria iraquiana foi dizimada pelas guerras atuais.

THE END é o título da obra de Heather Phillipson, que consiste num confeito de Chantilly com uma cereja no topo, sendo devorado por parasitas. O trabalho explora os extremos das experiências públicas compartilhadas, de celebrações a manifestações –  como esta última que houve recentemente na Trafalgar Square no dia seguinte ao atentado em Londres. Phillipson questiona a sedução e a instabilidade dos movimentos de massa contemporâneos, que “derretem” ou “melam” diante da manipulação de suas causas. 

Leia mais sobre grafite aqui.

Serviço – URBE: Conversas e Percursos 
  
Grupo de pesquisa  “Arte, espaço e esfera pública”
28/03 – 17:30 às 21:30
Oficina Cultural Oswald de Andrade | Sala 16 | Rua Três Rios, 363 
 
O URBE convida professores, artistas, curadores, urbanistas, arquitetos, estudantes e outros profissionais para desenvolver e aprofundar pesquisas na esfera de arte pública, com o intuito de compor um potencial núcleo de pesquisa para a próxima edição da Mostra. A coordenação é de Reinaldo Botelho e Felipe Brait e o limite de participantes é de 20 pessoas. Interessados em participar devem enviar e-mail para [email protected], com nome completo, idade, e profissão. Identificar no assunto “Grupo de pesquisa 2017”

 
Conversa aberta  “Arte pública: a cidade como espaço criativo”
31/03 – 19:30 às 21:30
Museu Emílio Ribas | Rua Tenente Pena, 100 
 
Refletir sobre as relações que se estabelecem para além dos limites públicos e privados é o objetivo desta conversa com a artista e professora docente da FAU-USP Giselle Beiguelman e o curador do URBE Reinaldo Botelho. A conversa possibilitará imaginar soluções inovadoras e eficientes para os recentes desafios urbanos, centradas no usuário da cidade como protagonista.
 
Ingressos distribuídos no local com 1h de antecedência
 
Caminhada pelo bairro do Bom Retiro 
01/04 – 15h00 às 16h30
Local de encontro: Oficina Cultural Oswald de Andrade  | Rua Três Rios, 363 
 
Um convite aberto a um passeio pelo bairro do Bom Retiro tendo como linha condutora obras de arte pública locais, instituições culturais e manifestações artísticas espontâneas do bairro, com o objetivo de experimentar o prazer da caminhada em grupo. Não há limite de participantes.

Assista ao vídeo da da URBE – Mostra de Arte Pública 2016: