Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

O Reino Unido encomendou mais de 500 milhões de doses da vacina contra a COVID-19 para sua população de 67 milhões e diz que doará todas as vacinas de que não precisar. Foto: Jonathan Campos

Casa do Brasil, em Londres, terá vacinação contra Covid

Será dia 12 de junho e será para todos – inclusive pessoas em situação imigratória irregular ou indocumentados 

(brpress Office*, Londres) – Vai ter vacinação contra Covid-19 na Casa do Brasil, referência em assistência a brasileiros em Londres, dirigida pela advogada brasileira Vitória Nabas. Será dia 12 de junho (sábado, Dia dos Namorados, no Brasil), das 12h às 18h. E será para todos – inclusive pessoas em situação imigratória irregular ou indocumentados.  Qualquer nacionalidade dentro da idade estabelecida pelo National Health Service (NHS), o SUS britânico – 30 anos ou mais – poderá ser vacinada. 

A iniciativa é uma parceria da Casa do Brasil com o NHS e o Conselho de Cidadania (CCRU), foro de aconselhamento e representação da comunidade brasileira no Reino Unido junto ao Consulado-Geral do Brasil em Londres. 

O agendamento de 120 pessoas já foi concluído para o dia 12. Uma nova data de vacinação deve ser aberta em breve. 

Além da vacinação, feita por enfermeiros do NHS, será possível fazer o cadastro no sistema de saúde público britânico – passo fundamental para quem está vivendo no Reino Unido – o país europeu com maior número de mortos pela Covid-19.

‘Novo normal’?

Apesar de o Reino Unido ter registrado somente 1 morte decorrente da  Covid-19 nas últimas semanas, nesta segunda-feira (07/06), foram reportadas 3 mil novas infecções pela chamada variante Delta do novo coronavírus, identificada pela primeira vez na Índia, que pode ser cerca de 40% mais transmissível do que a cepa-padrão. 

O cientista que assessora o governo britânico Ravi Gupta, da Universidade de Cambridge, disse que embora os novos casos sejam “relativamente baixos”, a variante indiana do vírus está contribuindo para um “crescimento exponencial” de uma terceira onde e defendeu que o fim das restrições na Inglaterra, previsto para 21 de junho, seja adiado.

“CPI’ da Covid pra inglês ver 

É a mesma afirmação do ministro da Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, que ao dizer que isso torna as decisões do governo sobre a redução das restrições na Inglaterra em 21 de junho “mais difíceis”. 

Hancock é o depoente desta terça-feira (08/06) de uma espécie de CPI da Covid britânica, que apura se a política de enfrentamento da pandemia do governo de Boris Johnson – antes um negacionista – tem sido adequada. 

Após acusações graves fornecidas pelo ex-secretário de governo Dominic Cummings – ideário do Brexit e braço direito de Johnson até o rompimento e sua demissão  –, que provocaram  um vendaval político que pode deteriorar irremediavelmente o crédito político do primeiro-ministro, Hancock promete trazer à tona mais fatos que devem minar o Partido Conservador e as decisões de Johnson. ]

Vacina para todos até 2022

Com o encontro do G7 acontecendo na Inglaterra, nesta sexta (11/06), o premiê britânico vai propor o compromisso do bloco para vacinar o mundo até o final de 2022.  O Reino Unido encomendou mais de 500 milhões de doses da vacina contra a COVID-19 para sua população de 67 milhões e diz que doará todas as vacinas de que não precisar. 

(*) Conteúdo produzidos pelo serviço de PR e Relacionamento com a Mídia da brpress, para divulgação e reprodução gratuita. Mais informações [email protected] .