Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

eorge Clooney em cena de Caçadores de Obras-Primas. Foto: Divulgaçãoeorge Clooney em cena de Caçadores de Obras-Primas. Foto: Divulgação

‘Caçadores’ de Clooney não convencem

(Berlim, brpress) - Filme do livro Caçadores de Obras-Primas, estrelado e dirigido pelo ator, se confunde com relatório de acervos de museus. Por Rui Martins.

(Berlim, brpress) -Razão tinha a 20th Century Fox de negar, durante três anos, a produção do filme Caçadores de Obras-Primas (Monument Men, EUA, 2013), tendo como ator e realizador George Clooney e exibido neste sábado (08/02) no Festival de Cinema de Berlim. O longa estreia no Brasil em 14/02.

    A história pouco conhecida de um pequeno grupo de especialistas em arte, empenhados em salvar quadros e esculturas roubados durante a Segunda Guerra Mundial, contada no livro homônimo de Robert Edsel (lançado no Brasil pela editora Rocco,), não consegue se impor na sua adaptação para a tela.

Burocrático

    Não se trata de um filme de espionagem. Também não é um thriller com suspense. Pior: o filme se confunde com um relatório de acervos de museus. Mas a pré-estreia em Nova York, na quinta-feira (06/02), atraiu uma constelação de famosos [veja galeria no Facebook da brpress].

    A própria Cate Blanchett, no papel da secretária do museu Jeu de Pomme e historiadora de arte francesa Rose Valland, membro da resistência da França durante a Segunda Guerra, está longe da musa de Woody Allen em Blue Jasmine, provável candidata ao Oscar.

    Embora Clooney tenha citado Os Canhões de Navarone, clássico britânico de 1961, e Fugindo do Inferno (1963) como filmes inspiradores, Caçadores de Obras-Primas  não passa de mais um filme de guerra, fora de época, frio e sem emoção – que não vem nem quando Matt Damon (também presente em Berlim) pisa em uma mina terrestre. Isso, sem falar em alguns gracejos fora do contexto.

    Na entrevista coletiva, George Clooney disse ter feito “um filme não cínico e nem irônico” para variar. Talvez esteja aí a falha do garotão-propaganda da Nespresso, “bonito mesmo quando maduro”, como observou uma jornalista fã. O ator interpreta o oficial George Stout, que lidera as buscas de obras durante o declínio de Hitler na Alemanha.

Temática atual

    Embora se passe durante a Segunda Guerra, o tema de  Caçadores de Obras-Primas está atual. Isso devido à recente descoberta de 1400 telas originais de gênios da pintura como Matisse, Chagall, Klee, Picasso, Renoir, Canalletto entre outros, que a polícia acredita terem sido roubadas pelos naziztas durante o conflito, na casa de um octogenário alemão, Cornelius Gurlitt.

    [O filme] “Não é um golpe de marketing”, reaaltou Clooney, que se declarou favorável a que, por exemplo, o Museu Britânico devolva à Grécia obras de arte grega que estão em sua coleção, provocado por uma jornalista grega, embora enfatizando que  “ajudar nisso não está ao seu alcance”.

Política

    Pouco mais se falou sobre Caçadores de Obras-Primas porque George Clooney também é famoso por posições políticas anti-belicistas (ele foi contra a guerra no Iraque e uma importante voz crítica contra o ex-presidente Bush), por seu ativistmo pelo fim do conflito no Sudão e por  ter feito filmes anti-establishment.

    Perguntado sobre o clima de revolta na Ucrânia, ele se declarou favorável à oposição, seguindo a posição da Casa Branca, e, desconhecendo que o movimento ucraniano vem sendo tomado por grupos violentos de extrema-direita, saudou os irmãos Klitschko e disse apoiar a ex-primeira ministra Yulia Tymoshenko, considerada por ele como “prisioneira política”.

    Ao falar do Sudão, o ator e diretor afimrou que “o processo de autodeterminação no país é muito importante e permitiu a criação da nação país mais jovem do mundo”. Clooney disse ainda que “vivemos um momento difícil no mundo com o que se passa no Egito, onde o povo derrubou um ditador mas depois se dividiu”.

Tumulto

    A concorrida sessão para a imprensa de Caçadores de Obras-Primas no festival de Berlim foi suspensa por mais de meia hora, pois um dos espectadores teve de ser socorrido com urgência por ter sofrido, de acordo com o que se comentava, um enfarto.

    Com o atraso, os jornalistas que não puderam ir à sessão lotaram a sala reservada para a entrevista coletiva com Clooney e elenco, não deixando lugar para muitos que viram o filme, impedidos de entrar – o que gerou um clima de desagrado e de insatisfação.

(Rui Martins/Especial para brpress)

Assista ao trailer de Caçadores de Obras-Primas:

Comentários

Publicar Comentário