Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Enrolados: técnica utilizada nos 21m de cabelos da Rapunzel é inovadora.collider.comEnrolados: técnica utilizada nos 21m de cabelos da Rapunzel é inovadora.collider.com

Disney ‘desenrola’ Rapunzel

(brpress*) - Guilherme Schneider explica por que repaginada do tradicional conto tem tudo para se tornar referencial da nova

(brpress*) – Você se lembra da história da Rapunzel? É, aquela mesma das enormes tranças louras, confinada no alto de uma torre esperando seu salvador, e cantada desde Dave Matthews Band à Daniela Mercury (“Jogue suas tranças de mel, RÁ-punzel, RÁ-punzel“)? Então. Muita gente não recorda a verdadeira história escrita pelo mais fabuloso duo alemão (os Irmãos Grimm), e, percebendo isso, a Disney preparou uma releitura da saga da jovenzinha cabeluda. Enrolados (Tangled, 2010) é a 50ª animação da Disney (a mais nova em 3D), além de grande aposta para “o sucesso das férias”, estreando nesta sexta (07/01).

O investimento dos produtores não foi pouco, já que a animação é simplesmente o segundo filme mais caro da história: nada menos que US$ 260 milhões. Ficando atrás apenas do recordista Piratas do Caribe – No Fim do Mundo (US$ 300 milhões), mas superando, por exemplo, produções como Avatar (US$ 237 mi), e, vejam só, Waterworld (US$ 175 mi). A comédia romântica já faturou US$ 225 milhões ao redor do mundo em pouco mais de um mês (estreou dia 24 de novembro nos EUA). Nada mal para uma franquia que ainda renderá muita grana em tudo que é tipo de produtos, tais como videogames: os jogos para Nintendo DS e Wii já estão no mercado.

Não tão enrolada

Um belo dia, caiu na Terra uma gota com a mais pura luz solar, criando uma brilhante flor mágica. Esse acontecimento foi testemunhado por Mamãe Gothel, uma anciã que se mantém sempre jovem por cantar para a planta, se aproveitando, assim, do poder místico de rejuvenescimento e cura.

Passados muitos anos, a rainha deste mesmo reino fica a beira da morte durante a gravidez, e é salva quando cavaleiros encontram a tal mágica flor dourada. Depois de um gole no chá feito com a flor solar, nasce a saudável princesinha Rapunzel.

Gothel furtivamente invade o castelo e tenta roubar uma mecha do cabelo da Rapunzel bebê (sim, mesmo pequena já tinha um baita cabelão que não parou mais de crescer). Ao perceber que o elixir da juventude só seria possível sem cortar as madeixas, rapta a criança e a leva para uma torre altíssima.

Escondida num vale remoto a menina cresce acreditando ser filha da sequestradora. Volta e meia canta a tal música para garantir a juventude da superprotetora Mamãe Gothel, que nunca deixa Rapunzel sair da torre (sabe como é, “o mundo lá fora é perigoso“…).

Às vésperas de completar 18 anos Rapunzel, no alto de seus 1,59m de altura e 21 metros de comprimento de cabelo (!!!), tem como amigo apenas o simpático camaleão Pascal. De presente pede um singelo passeio para ver os pontos luminosos que sempre surgem (coincidentemente ou não) no exato dia de aniversário. A megera vai embora, e nega o pedido, claro.

Frigideiradas

O conflito interno se estabelece de vez, quando o foragido ladrão Flynn Rider, também conhecido como José, se refugia na torre de Rapunzel. Por conta do roubo da coroa real, é perseguido até mesmo por um cavalo (Maximus, com instintos farejadores muy caninos), e o bonachão acaba dominado pelos cabelos (e por umas boas frigideiradas) de Rapunzel. Uma vez refém, Flynn é a única esperança de dar um dia pelo menos de liberdade para a jovem.

Daí em diante são várias aventuras, boas piadas, e o inevitável “rolo” (não pode faltar romance na história de princesa, né?!). Tudo permeado a metros e mais metros de cabelos sedosos, para dar inveja em muita menina refém de chapinha. A técnica utilizada nos 21 m de cabelos da Rapunzel também é inovadora, e ajudará muitos programadores no desafio que é animar madeixas (um velho terror dos designers).

Por que assistir?

Luciano Huck é o dublador do herói-ladrão. Não é um motivo convincente? Ok, talvez não seja mesmo, embora seja correto reconhecer o bom trabalho do apresentador do Caldeirão (direção do craque Garcia Júnior).
A verdade é que a animação 3D é de primeira qualidade: não é exagerada, com qualquer detalhe pulando para perto de seus óculos, já que utiliza também uma boa plataforma 2D. Fruto da maturidade da Disney adquirido com as produções anteriores em 3D.

Para quem curte os musicais sempre presentes nas animações da Disney, Enrolados não desaponta. Há belas canções na versão em português (a que assistimos e recomendamos, já que valoriza o foco nos efeitos visuais), cantadas pelos mais adoráveis e sonhadores bandidões, com destaque para o tema do pub.

Enrolados é aquele tipo filme para todas as idades. Pra dar muita risada com os mascotes do momento (o camaleão e o cavalo). Agrada crianças pequenas (dava para perceber a reação no cinema durante o filme) e também aos pais, sendo aquele programão pra levar namorada(o), família e amigos. Diversão garantida da Disney, que reinventa os clássicos mais esquecidos, se reinventando com as novas tecnologias. Balança corações como sempre e faz sorrir mesmo nos finais mais previsíveis. Será provavelmente a referência das próximas gerações para o nome Rapunzel.

E a moral da História?

Vale destacar também que há no enredo uma crítica explícita ao super-protecionismo materno. Talvez muitas crianças se identifiquem com a história da Rapunzel, causando quem sabe certo constrangimento nas mães mais corujas.
O sonho da juventude (e vida) eterna, e culto à beleza da mamãe sequestradora é uma furada. Principalmente se isso envolver cárcere privado de menor de idade…

Também há a redenção dos “bons ladrões”. Está lá aquele velho e irresistível glamour politicamente incorreto de Robin Hood e afins. Até mesmo na sugestão de Flynn Rider para Rapunzel: “Um pouco de rebeldia é necessário”. O crime não compensa, Disney?

E pra completar, por favor: pelo artigo 42 da lei nº 9.605 de crimes ambientais brasileira, soltar balões é crime inafiançável. Crianças, depois de assistirem ao filme não se esqueçam disso, ok?

(Guilherme Schneider/Especial para brpress)

(*) Com informações do Nerdeando.com.br.

Cadastre-se para comentar e ganhe 6 dias de acesso grátis!
CADASTRAR

Comente agora