Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Adam Driver e John David Washington em cena de BlackKKlansman. Foto: DivulgaçãoAdam Driver e John David Washington em cena de BlackKKlansman. Foto: Divulgação

Spike Lee junta Charlottesville e filme sobre KKK

(brpress) - Infiltrado na Klan teve a melhor bilheteria do diretor em quase dez anos no mesmo final de semana que marcou primeiro aniversário do choque entre supremacistas brancos e grupos anti-racistas.

(brpress) – O novo filme de Spike Lee, Infiltrado na Klan (BlackKKlansman), teve a melhor bilheteria do diretor em quase dez anos, no mesmo final de semana em que uma marcha do grupo racista de extrema direita Unite the Right marcou o primeiro aniversário do choque entre supremacistas brancos e grupos anti-racistas em Charlottesville, EUA, que deixaram uma mulher morta e 19 feridos. Foram US$ 10.8 milhões arrecadados. 

BlackKKlansman,

que teve estreia mundial no Festival de Cannes 2018, onde levou o Grand Prix, e recebeu o Prix du Public, o prêmio da audiência no Festival de Locarno, este mês, termina com uma declaração de Donald Trump culpando supremacistas brancos – uma mistura de gente  saudosa e defensora da escravidão e de neonazistas – e a “alt-left”, a esquerda alternativa, pelos confrontos – que se repetiram, em menor proporção, passados um ano do choque. 

Spike Lee capturou o racismo na Era Trump voltando aos anos 70, e disse esperar  que o presidente americano assista ao filme. Numa historia verídica, o detetive negro Ron Stallworth (John David Washington) se disfarça para se infiltrar e expor uma célula da organização extremista racista Ku Klux Klan (KKK), em Colorado Springs, usando um policial judeu branco interpretado por Adam Driver, para conduzir o plano em pessoa. 

Assista ao trailer (em inglês) de Infiltrado na Klan

Comentários