Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Dakota Fanning e Kristen Stewart em cena de The Runaways.DivulgaçãoDakota Fanning e Kristen Stewart em cena de The Runaways.Divulgação

The Runaways: rock e glam

(brpress) – Banda seminal feminina recebe filme à altura de sua importância, mesmo com interpretações de Kristen Stewart e Dakota Fanning aquém de Jett e Currie. Por Eliane Maciel.
(brpress) – Alguém daria alguma coisa pela atuação de Kristen Stewart em um filme mais denso? Não. E por Dakota Fanning? Talvez. Mas a mistura entre as duas jovens estrelas de Hollywood com a direção da estreante Floria Sigismondi, a atuação de Michael Shannon como Kim Fowley, mais a trilha sonora e toda a fotografia e edição deram a The Runaways – As Garotas do Rock uma química para superar expectativas e arrasar. É tudo que a banda de garotas que inspirou o filme merecia (leia mais sobre o grupo abaixo).

A princípio, é obrigação alertar curiosos e amantes do rock – que devem ir em massa assistir ao filme _que a trilha sonora do longa é um item obrigatório. Faixas que contam com Cherry Bomb (com a voz da própria Dakota), Rebel Rebel (David Bowie), Pretty Vacant (Sex Pistols) e You Drive Me Wild (The Runaways) têm as rédeas do longa. Nota dez.

A fotografia do filme é totalmente glam, respeitando clássicos do gênero como Velvet Goldmine (EUA/Reino Unido, 1998) e Hedwig and the Angry Inch (EUA, 2001). As cores com as quais os produtores (dentre eles a própria guitarrista original das Runaways, Joan Jett) brincaram em The Runaways, os brilhos, as fumaças e cenas mais embaçadas e de imagem mais granulada contrastaram de forma magistral com a intensidade da história.
Empresário
O ator americano Michael Shannon como o empresário da banda de rock, entrou em seu papel com esplendor e colaborou efetivamente para minimizar a falta de experiência de Kristen (que apesar da evolução poderia ter colocado muito mais emoção e agressividade em sua Joan Jett) e a apatia proposital de Dakota Fanning vivendo Cherie Currie.
A trama se baseia mais enfaticamente no olhar de Cherie Currie sobre tudo o que aconteceu à sua volta, envolvendo a fama meteórica da banda surgida em 1975. The Runaways provou ser uma grande influência para as garotas que sonhavam com uma carreira no rock, palco basicamente (e ainda hoje) tomado por figuras masculinas.
Beijo

Sem muito sentimentalismo barato como geralmente acontece em cinebiografias, The Runaways mostra uma Joan Jett apaixonada por Cherie (e o beijo polêmico que as duas trocam realmente convence) que, ao não saber lidar com a fama, quase coloca tudo a perder com seu egocentrismo exacerbado. Mas, para a sorte do empresário, existe Joan Jett, que toma a frente (e o lugar de vocalista), fazendo acontecer.

No Brasil, fãs das atrizes e das Runaways terão de esperar até 30 de setembro para ver o filme no Brasil.

(Eliane Maciel/Especial para brpress)