Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Reunião do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas. Foto: ONU/Jean Marc Ferré Reunião do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas. Foto: ONU/Jean Marc Ferré

Conectas e Ulster University discutem violência institucional

Documentário Agora Eu Quero Gritar participa de painel online em evento paralelo às reuniões do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

(São Paulo, brpress Office*) – A Conectas Direitos Humanos e a Ulster University promovem a exibição do documentário Agora Eu Quero Gritar (Right Now I Want to Scream, Brasil/Reino Unido, 2020) em um painel de discussão online, dia 05/10, às 10h (horário de Brasília), em evento paralelo às reuniões do Conselho de Direitos Humanos da ONU. A participação é gratuita e aberta ao público.

“O documentário traz à tona um dos temas mais importantes da agenda de direitos humanos no Brasil: a violência policial – a letalidade do estado por meio de suas forças de segurança”, afirma a diretora de Programas da ONG no Brasil, Camila Asano, que também fala sobre essa questão no filme

“O uso proativo da força mortal para fins de aplicação da lei é uma violação grave da lei internacional de direitos humanos”, adverte Siobhán Wills, codiretora de Agora Eu Quero Gritar e professora de Direito no Transitional Justice Institute, da Ulster University, na Irlanda do Norte, que participa da discussão no painel. 

Ativismo

Convidada especial para este painel, a ativista Ana Paula Oliveira traz ao evento sua vivência e luta por justiça após seu filho ter sido morto por policiais – que ela relata no documentário.

Ana Paula é membro do movimento Mães de Manguinhos, fruto da organização de mulheres da favela de Manguinhos, no Rio, cujos filhos foram  encarcerados e/ou assassinados por agentes do estado do Rio de Janeiro. 

Conexões  

A conexão entre a Conectas e Agora Eu Quero Gritar acontece devido à urgência de discutir e revisar a política de segurança pública praticada pelos governos brasileiros – especialmente no RJ –, buscando alinhamento e promoção de práticas que respeitem e valorizem os direitos humanos. 

Estas questões foram comentadas por Gabriel Sampaio, coordenador de Litígio Estratégico e do Programa de Enfrentamento à Violência Institucional da Conectas Direitos Humanos, no webinar de lançamento do documentário

Brasil denunciado

O Brasil foi denunciado na ONU por entidades brasileiras em temas como decretos de armas e  ataques a defensores indígenas – citados pela alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, na abertura da 48ª sessão do Conselho de Direitos Humanos em Genebra, em 13/09. 

O alerta de Bachelet ocorre uma semana antes da viagem do presidente Jair Bolsonaro a Nova York. Como manda a tradição, o Brasil abre a Assembleia Geral da ONU, na qual o líder brasileiro deve responder sobre estas e outras violações de direitos humanos.

Sobre Agora Eu Quero Gritar

Agora Eu Quero Gritar: Mortos pela Polícia e Exército no Rio – Uma Conexão entre Brasil e Haiti (Right Now I Want to Scream: Police and Army Killings in Rio – The Brazil-Haiti Connection, 62 mins., 2020) explora os vínculos entre o policiamento militarizado e a prática de ‘atirar para matar’ em comunidades marginalizadas no Rio de Janeiro e o impacto da violêbcia da MINUSTAH, Missão de Paz das Nações Unidas no Haiti, questionando a legalidade do uso da força letal nestes territórios, ouvindo vítimas – a maioria mulheres que tiveram seus filhos mortos – e especialistas. 

Mais informações sobre o filme, trailer e link para canal de notícias relacionadas:  https://bit.ly/CanalFilme

Facebook: https://www.facebook.com/AgoraEuQueroGritar

Instagram https://www.instagram.com/agora_eu_quero_gritar/

Jornalista e coprodutora no Brasil: Juliana Resende ([email protected])

Sobre a Conectas  Direitos Humanos

A Conectas Direitos Humanos é uma organização não-governamental brasileira, reconhecida legalmente como organização da sociedade civil de interesse público  sem fins lucrativos, para proteger, efetivar e ampliar os direitos humanos – propondo soluções, impedindo retrocessos e denunciando violações.

Sobre o Conselho de Direitos Humanos da ONU

O Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas reúne 47 países – entre ele o Brasil – para debater direitos humanos em todo o mundo, expor violadores, propor e cobrar mudanças. 

(*) Conteúdo pode ser reproduzido na íntegra ou parcialmente, desde que citada a fonte. 

Assista ao trailer de Agora Eu Quero Gritar:

#brpressconteudo #agoraeuquerogritar #direitoshumanos #violenciainstitucional #favelas #policiamento #militarizaçao #Conectas