Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Brasil inicia corrida pelos testes

(brpress) - Ministério da Saúde pretende aplicar 22,9 milhões de exames, fazendo testagem em massa, estratégia adotada por países que conseguiram controlar a doença, como a Coreia do Sul, mas não detalhou como isso será feito.

(brpress) – Com o agravamento da pandemia do novo coronavírus, o governo brasileiro deixou de orientar a realização de testes somente em casos graves – como tem acontecido em países como o Reino Unido. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda aos países que façam a maior quantidade possível de testes. E com o aumento das infecções no Brasil, o Ministério da Saúde (MS), então, mudou sua posição.

 No começo das infecções no Brasil, o MS prometeu o fornecimento de 10 milhões de testes — do tipo sorológico, reagente e mais rápido, que rastreia a presença de anticorpos contra o novo coronavírus no organismo, mas não o vírus – em todo o país. Os primeiros testes serão voltados exclusivamente a profissionais de saúde afastados do trabalho em razão da manifestação de sintomas associados à COVID-19. 

O MS anunciou depois que pretende aplicar 22,9 milhões de testes. A ideia é fazer testagem em massa, estratégia adotada por países que conseguiram controlar a doença, como a Coreia do Sul. Até agora, a pasta não detalhou como isso será feito.  

O secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Wanderson de Oliveira, disse que a pasta receberia 1,3 milhão de testes da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) – o principal laboratório público do país e o maior da América Latina, que está liderando a campanha #SELIGANOCORONA contra o coronavírus nas favelas do Rio. 

O Instituto de Bio-Maguinhos, da Fiocruz já entregou 30 mil kits para testes moleculares, chamados também de PCR-RT, que detecta material genético do vírus. A produção chegará a 50 mil neste mês e triplicará em abril. A brpress entrou em contato com a Fiocruz para saber mais detalhes sobre se a instituição tem novas informações sobre capacidade de produção e aumento da demanda por testes, mas, até o fechamento deste conteúdo, não obteve retorno.

China

O ministério anunciou a contratação dos primeiros testes rápidos, fornecidos pela Wondfo, empresa da China — acusada pelo deputado federal e filho do presidente da república, Eduardo Bolsonaro, de ter “espalhado o vírus numa guerra biológica do Partido Comunista contra os EUA”, criando uma tremenda saia-justa diplomática com o maior cliente das commodities do Brasil. 

 Depois do imbroglio, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, admitiu que pode não ocorrer o fornecimento dos milhões de testes à população. “Continuamos fazendo os nossos testes pela Fiocruz. Temos nossa capacidade de produção. Estamos colocando 2,3 milhões de testes de PCR-RT à disposição de todos os estados”, disse. 

Segundo a Fiocruz , testes sorológicos serão fornecidos por um fabricante parceiro dos Estados Unidos. Vale lembrar que os testes rápidos sorológicos são considerados como testes de triagem, ou seja: dependentes de contraprovas para um diagnóstico definitivo. 

Comentários

Publicar Comentário