Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Pandemia aumenta extrema pobreza no mundo

Recessão econômica por conta do novo coronavírus deve levar de 88 milhões a 115 milhões de pessoas à extrema pobreza

(brpress) – Segundo o relatório Pobreza e Prosperidade Compartilhada, do Banco Mundial, a extrema pobreza crescerá no mundo em 2020 pela primeira vez em mais de 20 anos, por causa da pandemia da COVID-19, no topo de outros problemas, como conflitos e a mudanças climáticas.

A recessão econômica por conta do novo coronavírus deve levar de 88 milhões a 115 milhões de pessoas à extrema pobreza (viver com menos de US$ 1,90 ou cerca de R$ 10) neste ano, com o total de prejudicados pelo problema batendo em até 150 milhões até 2021.

O relatório também conclui que muitos dos novos pobres estarão em países já com taxas altas de pobreza. Na América Latina e no Caribe, a expectativa do Banco Mundial é que ao fim de 2020 a taxa de pobreza extrema esteja em 4,2% da população, ou 27,5 milhões de pessoas. Em 2017, ela estava em 3,9%, ou 24,4 milhões.

Brasil

No Brasil, com13,5 milhões (6,5%) vivendo em extrema pobreza e 52,5 milhões na linha da pobreza (com US$ 5,5, cerca de R$ 22 por dia),  trabalhadores que não chegaram a completar o ensino médio tiveram quedas de até 25% no primeiro semestre de 2020 em relação ao que costumavam ganhar no mês, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Covid, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), organizados pela consultoria IDados.

A pandemia matou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo em 2020. Os bloqueios e uma recessão econômica global afetaram desproporcionalmente aqueles que vivem ou são vulneráveis à pobreza. 

#brpressconteudo #pobrezaextrema #renda #desigualdade