Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Gilberto Gil: presença na abertura da mostra Gil70 em Brasília. Foto: DivulgaçãoGilberto Gil: presença na abertura da mostra Gil70 em Brasília. Foto: Divulgação

Gil, arteiro aos 70

(Brasília, brpress) - Mostra Gil70 chega à capital federal, com 23 trabalhos de diversos artistas dedicados a Gilberto Gil.

(Brasília, brpress) – Apesar de continuar a ser um dos artistas mais inventivos ainda em ação no Brasil e de ter passado pouco mais de 50 anos de carreira, Gilberto Gil parece não cansar nem desanimar. Foi essa a impressão que o ilustre fundador do Tropicalismo transmitiu ao público presente à exposição Gil70, que abriu em Brasília, depois de grande sucesso no Rio e em São Paulo, na última terça (12/03), no Museu Nacional do Conjunto Cultural da República.

    A exposição, concebida pelo poeta André Vallias e pelo ensaísta Frederico Coelho, reúne 23 trabalhos dedicados aos 70 anos de Gil – comemorados em 26/06/2012. São pinturas, grafites, vídeos, fotografias, esculturas, poesias visuais e instalações interativas. Todas as obras inspiradas em canções de Gil ou dedicadas a elas.

    O que o homenageado achou das obras que compõem a mostra? “Ficou linda. Temos aqui vários campos das artes juntas para expressar uma época rica na vida cultural brasileira”, declarou Gil. O próprio conferiu de perto obras de cada um dos 27 artistas, poetas, videomakers, músicos, cineastas, programadores e designers.

Toda Nenina Baiana

    Tangenciando uma linha do tempo ilustrada com fotos, capas de discos e 18 displays com áudio, letra e comentários de 70 de suas mais emblemáticas composições, Gil coloca um dos headphones, ouve com atenção, sorri tímido e canta baixinho o som que escuta. A música é Toda Nenina Baiana.

    Gillberto Gil, que colaborou musicalmente na feitura de uma das instalações interativas, não interferiu na curadoria da exposição. Mas fez questão de manter uma antiga tradição: a de jogar o I Ching, para associar o projeto a um dos 64 hexagramas do milenar oráculo chinês. Obteve o de número 29 – k’an / o abismal:”A água flui ininterruptamente e chega à sua meta: a imagem do abismal repetido. Assim o homem superior caminha em constante virtude e exerce o magistério”.

    A exposição Gil70 tem ainda um desdobramento digital que inclui uma antologia de textos escritos por Gilberto Gil – entre manifestos, artigos, discursos e entrevistas – e uma coletânea de crônicas escritas especialmente para a ocasião por: Rita Lee, José Miguel Wisnik , Marisa Alvarez Lima, Hermano Vianna, Jerusa Pires Ferreira, Carlos Rennó, Fernanda Torres, Andre Midani, Inês Pedrosa, Arto Lindsay, Bernardo Oliveira, Francisco Bosco, Jorge Mautner, Evando Nascimento, DJ Dolores e Paquito.

Visitação: terça a domingo, das 9h às 18h30. Até 28/04.

(wemerson Santos/Especial para brpress)

Museu Nacional do Conjunto Cultural da República – Setor Cultural Sul, Lote 02, Esplanada dos Ministérios