Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

You Say You Want a Revolution? Records and Rebels 1966-1970 mostra a Swing London por meio de capas de discos. Foto: DivulgaçãoYou Say You Want a Revolution? Records and Rebels 1966-1970 mostra a Swing London por meio de capas de discos. Foto: Divulgação

Revolução, discos e rebeldia

(Londres, brpress) - Mais uma da série imperdíveis no V&A: You Say You Want a Revolution? Records and Rebels 1966-1970. Para quem gosta de música, moda e arte.

(Londres, brpress) – Este é realmente um ano espetacular no Victoria & Albert Museum, em Londres. Depois de exposições como Botticelli Reimagined e Undressed – A Brief Story of Underwear, abriu no sábado (10/09), mais uma da serie imperdíveis: You Say You Want a Revolution? Records and Rebels 1966-1970. Para quem gosta de música, moda e arte, a mostra é um prato cheio.

O museu define a exposição como uma “odisséia musical” sobre a era das maiores transformações comportamentais e culturais até hoje experimentadas no planeta: os anos 60. A ideia é mostrar como essa revolução aconteceu por meio de capas de discos – são mais de 200 deles, todos da coleção do DJ inglês John Peel (1939-2004). 

Os discos – na sua aparência e conteúdo – transportam os visitantes  para a Swinging London – a Londres da minissaia, de Twiggy, das cores extravagantes, dos primeiros passos de uma cultura pop que se alastrou pelo mundo indo muito além dos Beatles, contaminando a política e o cinema. 

Carnaby St 

A Carnaby Street – a rua que era o epicentro dessa efervescência e continua sendo um pólo de moda e cultura cheio de personalidade na capital britânica – ganha, por conta de sua importância estratégica – uma pop up store da mostraYou Say You Want a Revolution? Records and Rebels 1966-1970,  com produtos exclusivos. Funciona até 8 de janeiro de 2017.

Enquanto Jimi Hendrix ateava fogo em sua guitarra em Woodstock, estudantes tomavam as ruas de Paris e o primeiro homem pisava na lua. A exposição, com patrocínio da Levi’s, tem toda uma ambientação sonora com as músicas desta época icônica.

Assista ao vídeo de You Say You Want a Revolution? Records and Rebels 1966-1970:

(Londres, brpress) – Este é realmente um ano espetacular no Victoria & Albert Museum, em Londres. Depois de exposições como Botticelli Reimagined e Undressed – A Brief Story of Underwear, abriu no sábado (10/09), mais uma da serie imperdíveis: You Say You Want a Revolution? Records and Rebels 1966-1970. Para quem gosta de música, moda e arte, a mostra é um prato cheio.

O museu define a exposição como uma “odisséia musical” sobre a era das maiores transformações comportamentais e culturais até hoje experimentada no planeta: os anos 60. A ideia é mostrar como essa revolução aconteceu por meio de capas de discos – são mais de 200 deles, todos da coleção do DJ inglês John Peel (1939-2004). 

Os discos – na sua aparência e conteúdo – transportam os visitantes  para a Swinging London – a Londres da minissaia, de Twiggy, das cores extravagantes, das primeiros passos de uma cultura pop que se alastrou pelo mundo indo muito além dos Beatles, contaminando a política e o cinema. 

Carnaby St 

A Carnaby Street – a rua que era o epicentro dessa efervescência e continua sendo um pólo de moda e cultura cheio de personalidade na capital britânica – ganha, por conta de sua importância estratégica – uma pop up store da mostraYou Say You Want a Revolution? Records and Rebels 1966-1970,  com produtos exclusivos. Funciona até 8 de janeiro de 2017.

Enquanto Jimi Hendrix ateava fogo em sua guitarra em Woodstock, estudantes tomavam as ruas de Paris e o primeiro homem pisava na lua. A exposição, com patrocínio da Levi’s, tem toda uma ambientação sonora com as músicas desta época icônica.

Assista ao vídeo de You Say You Want a Revolution? Records and Rebels 1966-1970:

Comentários

Publicar Comentário