Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Uma primeira versão do Ceviche é registrada como sendo de cerca de 2000 A.C. Foto: DivulgaçãoUma primeira versão do Ceviche é registrada como sendo de cerca de 2000 A.C. Foto: Divulgação

Ceviche pra dar e vender

(São Paulo, brpress) - Quarta edição da Expoceviche mescla comida e cultura do Peru em evento gratuito no Memorial da América Latina. Neste final de semana.

(São Paulo, brpress) – O primeiro final de semana de novembro ganha as artes e os sabores do Peru, na capital paulista, durante a quarta edição anual da Expoceviche, que neste ano acontece neste sábado e domingo (05 e 06/11), das 11h às 19h, no Memorial da América Latina. 

Os fãs do prato de peixe cru e frutos do mar marinados em sucos de frutas cítricas e apimentado típico dos incas – uma primeira versão do Ceviche é registrada como sendo de cerca de 2000 A.C. entre o povo Mochica do litoral norte do Peru, onde o peixe era marinado em suco de tumbo ou curuba (um fruto similar ao maracujá). Delícia!

Cultura afroperuana

Idealizado pelo crítico gastronômico peruano Oscar Vasquez-Solis e com apoio do Consulado Geral do Peru em São Paulo, o evento cultural gastronômico, que tem apresentado o Peru ao Brasil, tem o objetivo de difundir ainda mais as tradições do país andino por aqui. Em 2016,  o tema é a cultura afroperuana e ressalta a presença marcante da raça negra na gastronomia, música, dança e artesanato local. A entrada é gratuita.

          A programação, em ambos os dias, destaca uma série de atividades preparadas especialmente para os interessados em conhecer o legado e influência da cultura africana no Peru com shows, performances, oficinas e palestras.

Artistas

Adriana Mezzadri (peruana, filha de pai brasileiro e mãe peruana, que mostra canções de Chabuca Granada – sábado, às 14h30); Danielle Almeida (brasileira que residiu durante muitos anos no Peru, é grande conhecedora das músicas negras latino-americanas e chega acompanhada da banda Negra de Peru – sábado, às 16h10 e domingo, às 14h); Pithy Cajonero (percussionista brasileiro faz uma Gran Cajoneada com o tradicional cajón afroperuano – sábado, às 15h30);  Juan Varillas (cajonero e percussionista peruano que vem ao Brasil especialmente para dar aulas de cajón na Expoceviche – domingo, às 15h) e a banda Fina Estampa (interpretando um repertório de músicas criolla peruana e afroperuana – sábado, às 17h e domingo, às 15h30). O evento conta ainda com apresentação de dança e flash mob no espetáculo Ritmos Negros Del Peru. 

Barracas e chefs

          Na lista dos melhores restaurantes do mundo, segundo a The World’s 50 Best Restaurants, o quarto deles é peruano: o Central, que também assume o topo da lista dos melhores latino-americanos. Isso prova que a cozinha peruana tem ganhado cada vez mais espaço no mundo da gastronomia.  

Nesta edição, a  Expoceviche conta com  30 barracas, que oferecem comidas e bebidas típicas como  os diferentes tipos de ceviche, o carro-chefe do evento,  anticucho (espetinho de coração de boi), tiraditos e  causas (pratos frios);  lomo saltado e arroz com frutos do mar (pratos quentes); e turron, mazamorra e chica (doces), além do famoso pisco (aguardente de uva), pisco sour e chilcanos (pisco puro com refrigerante).

As barracas são comandadas por renomados chefs peruanos como Edgard Villar (Rinconcito Peruano – restaurante popular paulistano extremamente barato e ótimo), Marisabel Woodman (La Peruana Cevicheria), Christian Bascones (Huaco Restobar) e Marco Espinoza (Lima Restobar). Só sentimos falta do chef Checho Gonzales, que é boliviano mas toca um dos mais modernos, deliciosos e descolados (sem falar no preço camarada) restaurantes peruanos de São Paulo: a Comedoria Gonzales, um presente para a cidade que fica dentro da pérola vintage que é o Mercado de Pinheiros, revigorado por Alex Atala. 

Memorial da América Latina – Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda; (11) 99560-0360 e  98888-9261; Entrada gratuita.