Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Craig SamsCraig Sams

Craig Sams: uma vida verde

(Londres, brpress) - Ex-hippie que impulsionou onda orgânica na Inglaterra com a Whole Earth Foods agora vende carvão biológico. Por Juliana Resende.

(Londres, brpress) – Ele vale um perfil em bom português numa das melhores revistas do ramo, mas as publicações sobre negócios brasileiras parecem não estar interessadas na história do  homem que introduziu o arroz integral e a macrobiótica no Reino Unido, nos anos 60: o ex(e ainda hoje um pouco)-hippongo empresário septuagenário com corpinho de 40, Craig Sams. Ele é fundador da Greens & Black, pioneira na fabricação de chocolate orgânico e que faz o melhor e mais barato chocolate “verde” do Reino Unido.

Conhecemos e entrevistamos essa simpatia na galeria dele, a Muse, na icônica Portobello Road, onde estava expondo pela primeira vez obras do artista pop britânico Larry Smart, que era seu amigo e criou logos da primeira marca de produtos naturais do Reino Unido, a Whole Earth Foods, fundada por ele. O atual endereço da Muse foi seu primeiro restaurante natureba e onde tudo começou. “Começamos a fazer pão e quitutes integrais e logo a demanda cresceu e abrimos o restaurante Seeds”, conta Sams, ainda com o brilho nos olhos de um jovem e disposto startupeiro. “Amo criar novos negócios”, diz. 

Sementes

No Seeds, era comum ver gente da cena artística britânica e internacional – John Lennon, por exemplo, era freguês – ruminando grãos integrais e verduras frescas. “Fomos pioneiros num movimento que está na moda hoje. Nosso menu não continha aditivos, café, açúcar, carne industrializada e trigo”, lembra. “Achávamos que a macrobiótica era um passo essencial para um futuro sustentável, num mundo caminhando para a escassez de recursos, com uma superpopulação e o aumento das doenças. Eu ainda penso assim”. 

Daí para a criação da marca pioneira em produtos orgânicos, a Whole Earth Foods, foi um pulo. A empresa é a joia da coroa de orgânicos da terra da Rainha, orgulhando-se de ter se comprometido a trazer boa comida para massas tratadas a chá com leite, fish and chips, sausage, toast and beans e doses cavalares de bacon. A  Whole Earth Foods produziu o primeiro corn flakes orgânico do país, a primeira geléia sem açúcar (adoçada com suco de maçã), ambos nos anos 70, e tem como outro carro-chefe a premiada pasta de amendoim (“cheia de fibra e proteína”). 

É bonito ver Craig Sams falar com tanta ternura de sua missão: “Levar comida de qualidade ao maior número possível de pessoas”. Sabendo que a reportagem é do Brasil, Sams traz o guaraná Gusto para degustação. Surpreendente o sabor equilibrado do xarope do guaraná (“sim, a matéria prima vem do Brasil!”, revela ele) e a quantidade de água gaseificada (naturalmente), bem como o toque levemente doce (o refrigerante é feito com mascavo). Muito bom e estimulante como o puro pó de guaraná. 

Passamos pouco mais de uma hora com Craig Sams enquanto outros ex-hippies, artistas e gente louca por um charutinho de folha de uva com arroz integral e uma cerveja orgânica enchia a pequena galeria na abertura da expô de Larry Smart (1945-2005), Retro-spective. “É uma forma de homenagear um amigo querido, que não teve o devido reconhecimento em vida e que ajudou a criar a cara da Whole Earth Foods, desenhando rótulos dos produtos”, diz Sams. Mas o trabalho de Smart é, literalmente, muito mais esperto. O “maldito” da pop art britânica produziu retratos psicodélicos de Lennon, Bob Dylan e Jimi Hendrix que ficaram na história, além de vibrantes mandalas e coloridas paisagens mesclando natureza e mosaicos orientais – pra lá de Marrakesh, onde Larry Smart viveu. 

‘Barões do arroz integral”

A leveza da obra de Smart casa perfeitamente com o espírito sustentável de Sams. A sensação é que estamos de volta a 1967 no clube UFO, onde bandas como Pink Floyd começaram a tocar e onde os irmãos Craig e Gregory Sams – que ficariam conhecidos como “barões do arroz integral”– vendiam comidinhas integrais. Nunca é tarde para lembrar que a Whole Earth Foods inspirou grandes marcas como Whole Foods Market, rede global de produtos orgânicos que está sendo vendida para a Amazon por exorbitantes US$ 14 bilhões. A transação é alvo de grande polêmica. 

Um grupo de congressistas democratas emitiram um comunicado manifestando preocupação com o acesso a comida saudável a preços justos pela população nos EUA em face da aquisição da Whole Foods pela gigante Amazon (o interesse da companhia de Jeff Bezos é diversificar em seu core business, o e-commerce, e comida orgânica parece um segmento ideal). A Amazon representa a nova geração de lojas que vão levar o varejo a outro patamar, provavelmente aniquilando pequenos comerciantes e até grandes redes varejistas.  

Craig Sams também resolveu diversificar, mas dentro do seu guarda-chuva de sustentabilidade: atualmente é dono da Carbon Gold, que vende carvão biológico como adubo e melhorador do solo ecologicamente correto para agricultura. Ele mantém esse blog bacana, é autor de livros sobre macrobiótica traduzidos em oito idiomas e uma autoridade em vida saudável e negócios. 

(Juliana Resende/brpress) 

Juliana Resende

Jornalista, sócia e CCO da brpress, Juliana Resende assina conteúdos para veículos no Brasil e exterior, e atua como produtora. É autora do livro-reportagem Operação Rio – Relatos de Uma Guerra Brasileira e coprodutora do documentário Agora Eu Quero Gritar.