Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Marianne Faithfull canta no programme FanclubMarianne Faithfull canta no programme Fanclub

Marianne Faithfull terá autobiografia estrelada por Lucy Boynton

(Londres, brpress) - Internada com pneumonia e COVID-19, cantora de 73 anos está estável, já tendo sobrevivido a câncer, hepatite C e vício em heroína, depois de namorar Mick Jagger.

(Londres, brpress) – Internada desde 5 de abril, em Londres, com pneumonia e COVID-19, a cantora Marianne Faithfull, de 73 anos, será interpretada no filme autobiográfico Faithfull, de Ian Bonhôte, pela atriz Lucy Boynton (namorada de Freddie Mercury em Bohemian Rhapsody).

O estado de Faithfull –  que namorou Mick Jagger e sobreviveu ao vício em heroína, à loucura da Swinging London e “aos Stones’, como lembrou nossa amiga, PR e consultora de projetos, Susy Howard –, é estável e ela está se recuperando.

Mais famosa por ter sido namorada de Mick Jagger e pela extravagância da Swinging London, nos anos 60, que pela carreira de cantora,  iniciada aos 17 anos, sob a tutela do empresário dos Rolling Stones, Marianne Faithfull é uma lenda viva de tempos libertários, protagonista feminina do enredo embalado por sexo, drogas e rock n’roll. 

Thelma e Louise

Nos anos 1970 ela fez um retorno ao sucesso, com o disco Broken English.  Foi nesse álbum que ela gravou The Ballad of Lucy Jordan, que 20 anos depois seria usada na trilha sonora do clássico feministaThelma e Louise, para uma das cenas mais importantes do filme.

Nos anos 80 e 90 superou a pecha de cantora de um sucesso só – As Tears Go By, composta para ela por Mick Jagger e Keith Richards – e a sua carreira musical deu uma deslanchada. Ela aproveitou para escrever sua história – que inclui outras doenças, como anorexia, hepatite C e câncer de mama. Ela publicou duas autobiografias:  Marianne Faithfull, em 1995, e Memories, Dreams and Reflections, em 2007 – livros em que o filme deve ser baseado. gas como a heroína no passado.

Em 2018, Marianne Faithfull lançou um álbum novo: Negative Capability.