Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Castanhas do Pará da Floresta em Pé: crocância e sustentabilidade. Foto: COOAMACastanhas do Pará da Floresta em Pé: crocância e sustentabilidade. Foto: COOAMA

Floresta em Pé aposta na sustentabilidade

(brpress) - Com um nome que diz a que veio, a marca oferece castanhas do Pará superfrescas, planta árvores e beneficia mulheres que descascam a iguaria.

(brpress) – Neste Dia da Proteção às Florestas, 17 de julho, saudamos a Floresta em Pé. A marca oferece as melhores e mais crocantes castanhas do Pará de que se tem notícia (sim, provamos e amamos) e  planta uma árvore a cada pacote com 24 unidades e 125g vendido (preço médio de R$ 16). Mais de 6 mil árvores já foram plantadas. E ainda transforma para melhor a vida de mulheres que descascam as castanhas. 

 “Temos viveiros que produzem mudas de cumaru (que dá a castanha baru), açaí e castanheiras”, conta Diego Francisco Pamplona, CEO da empresa. O plantio das árvores é feito em áreas desmatadas na parte do bioma da Amazônia que fica no norte do Mato Grosso – onde se concentra a produção das castanhas da Floresta em Pé –, o mais abrangente no território do estado, com vegetação predominantemente florestal. 

Sustentabilidade

“Nossa sustentabilidade vem do fato de que a fonte de produção é renovada a cada colheita, com o plantio das mudas”, orgulha-se Pamplona. Uma equipe interna da Floresta em Pé, assessorada por empresa de engenharia ambiental, mapeia áreas desmatadas (geralmente Áreas de Proteção Ambiental – APAs), onde o replantio é feito, depois de autorizado pelo proprietário da terra. 

As castanhas da Floresta em Pé também melhoram a vida de quebradeiras de castanhas – mulheres que, numa área dominada por madeireiras, têm pouca oportunidade de trabalho. A empresa utiliza os serviços da Cooperativa de Trabalho Sustentável da Amazônia Legal (COOAMA).