Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

JW Anderson: sempre associado à ousadia máxima quando o assunto é passarela. Foto: Kris Mitchell/British Fashion CouncilJW Anderson: sempre associado à ousadia máxima quando o assunto é passarela. Foto: Kris Mitchell/British Fashion Council

‘Gender fluid’, étnicos e robóticos

(Londres, brpress) - São homens trabalhando na criação e na passarela da London Collections: Men SS17. Selecionamos alguns looks esquisitões e cheios de estilo da semana de moda masculina londrina.

(Londres, brpress) – Com a atriz Amber Heard trazendo à tona a temática do bissexualismo, o termo “gender fluid” – uma sexualidade que  flui entre os gêneros masculino e feminino, não necessária e constantemente identificada com um ou outro – voltou a ganhar as manchetes. Na London Collections: Men Spring-Summer 17, semana de moda masculina londrina que aconteceu de 10 a 13/06, a fluidez entre os gêneros dominou praticamente todas as coleções.

Não se pode dizer que garotos parecem garotas nas coleção de estilistas como Wales Bonner, Xander Zhou, Ximon Lee e mesmo da MAN, iniciativa da Topman e da ONG Fashion East (usina fashion do leste de Londres criada por Lulu Kennedy MBE e pela Old Truman Brewery, em 2000) para revelar e fomentar o trabalho de novos criadores. Os modelos e os looks são algo assim indefinido sexualmente falando, focando deliberadamente na androginia.

Transgressão e esquisitice

Tudo é muito pós-moderno, quando não toma ares étnicos, robóticos e mesmo apocalípticos. E prova que a moda masculina que vem de Londres transcende e muito os ternos bem cortados da Savile Row. Que o digam Christopher Shannon e JW Anderson – dois nomes associados à ousadia máxima quando o assunto é passarela. Para esta temporada, a MAN trouxe três novos designers: Charles Jeffrey LOVERBOY, Feng Chen Wang e Per Götesson.

O londrino Craig Green, que também foi catapultado pela MAN em 2013, bateu o recorde de esquisitice com uma coleção étnica, de inspiração árabe, com longos, turbantes e muita assimetria. Este ano, ele venceu o British Fashion Council/GQ Designer Menswear Fund. Green comentou sobre a London Collections: Men: “Tenho passado quase toda a minha vida em Londres, onde nasci. Esta cidade tem um grande papel em quem eu sou e no que me inspira. A energia, a diversidade, o vanguardismo quase natural… São únicos.”

(Juliana Resende/brpress) 

Veja nossa seleção de looks mais interessantes no Pinterest.

Juliana Resende

Jornalista, sócia e CCO da brpress, Juliana Resende assina conteúdos para veículos no Brasil e exterior, e atua como produtora. É autora do livro-reportagem Operação Rio – Relatos de Uma Guerra Brasileira e coprodutora do documentário Agora Eu Quero Gritar.

Comentários

Publicar Comentário