Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

London Fashion Week prega sustentabilidade anti-Brexit

(Londres, brpress) - Semana de moda britânica celebra internacionalização e anuncia campanha Switch to Green Energy, parte da agenda Positive Fashion, que tem a modelo Adwoa Aboah como representante. Por Juliana Resende.

(Londres, brpress) – Pelo segundo setembro consecutivo, quando acontece a London Fashion Week, semana de moda londrina, para Primavera-Verão, a diretora do British Fashion Council, Caroline Rush, faz um discurso anti-Brexit. Desta vez, ele veio acompanhado de apelo pela sustentabilidade, pedindo a adesão de uma indústria estimada em cerca de R$ 264 bilhões, 6% do mercado britânico e que emprega 880 mil pessoas – a maioria de diversas nacionalidades europeias. 

“Nossos negócios estão pedindo acesso gratuito tarifário à UE e fronteiras sem barreiras, além de apoiar oportunidades para construir parcerias culturais e economicamente benéficas com outros países”, disse Rush, em discurso de abertura da LFW, que vai de 15 a 19/9. “Continuamos a fornecer informações, estudos de caso e relatórios para o governo, enquanto continuamos tão internacionais quanto antes do referendo [em que ganhou o sim para saída do Reino Unido da União  Europeia], no ano passado.”

70 países, Europa e os chineses

É evidente a importância da internacionalização para a indústria da moda britânica, que vai além do varejo, a começar por universidades de moda, como Central Saint Martins, que são powerhouses criativas  atraindo talentos pagando mensalidades que chegam a R$ 50 mil por ano – especialmente chineses e russos endinheirados. O Designer Showrooms, exposição de estilistas iniciantes na LFW, é uma prova cabal de como o Reino Unido vem capitalizando os benefícios da globalização nas indústrias criativas: são 150 expositores de diversas nacionalidades. 

Computados compradores e visitantes, incluindo mídia credenciada, a conta fecha em 70 nacionalidades circulando pela London Fashion Week. Nas lojas, os turistas chineses são os que mais gastam no mercado de luxo britânico, abocanhando 23%, seguidos pelos americanos, com apenas 7%, segundo o Global Blue 2017. A União Europeia foi a maior importadora de tecidos e itens de vestuário produzidos no Reino Unido – sendo 74% do total de exportações do setor no país (aumentando 36% desde 2012 e totalizando R$ 27 bilhões em 2016). 

(Juliana Resende/brpress) 

Juliana Resende

Jornalista, sócia e CCO da brpress, Juliana Resende assina conteúdos para veículos no Brasil e exterior, e atua como produtora. É autora do livro-reportagem Operação Rio – Relatos de Uma Guerra Brasileira e coprodutora do documentário Agora Eu Quero Gritar.