Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Em Adoráveis MulheresEm Adoráveis Mulheres

Adoráveis millenials

(brpress) - Adoráveis Mulheres ganhou o Oscar de Melhor Figurino e está ditando moda com vestidos que são tendência entre hipsters que curtem uma pegada vintage (até mesmo no feminismo).

(brpress) – Greta Gerwig pode ter sido injustiçada no Oscar 2020. Afinal, não houve mulheres indicadas nas principais categorias: Melhor Filme e Melhor Diretor. Mas seu filme, Adoráveis Mulheres (Little Women, 2019) ganhou o Oscar de Melhor Figurino. Foi merecido o prêmio para a figurinista Jacqueline Durran, que criou uma paleta de cores para cada personagem. Mas são os looks do filme que estão dando o que falar – e vestir. Viraram tendência entre millenials que curtem uma pegada vintage (até mesmo no feminismo). 

 Dirigida e adaptada por Greta Gerwig, a quinta versão para o cinema de Mulherzinhas (Little Women), clássico da chick lit (gênero literário que aborda questões da mulher moderna, independente, culta e audaciosa, de forma leve e divertida) escrito por Louisa May Alcott, está lançando moda. O figurino é um desfile de vestidos longos xadrez, babados, golas altas, arranjos de cabelo, chapéus, ankleboots e outros frufrus – tudo em seda, algodão, veludo e palha, bem orgânico e hipster.  

Saoirse Ronan

O filme Adoráveis Mulheres é costurado pelo alter ego da autora, a escritora feminista Jo March vivida por Saoirse Ronan, atriz irlandesa que entrevistamos em Londres, em 2015, no London Film Festival, onde o filme Brooklyn, estrelado por ela (e também com um figurino muito fashion), foi lançado. Desde então, Saoirse (pronuncia-se “Sorcha”) segue empoderadaa e premiada por papéis de jovens mulheres independentes e donas de si.

Em Adoráveis Mulheres, Jo e as irmãs March são jovens determinadas a viver a vida em seus próprios termos. O que era revolucionário em 1868 parece encontrar eco em 2020.Ah! Meryl Streep é Tia March.