Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Amanda Palmer dispensa suas bandas e faz shows sozinha no Reino Unido. Foto: DivulgaçãoAmanda Palmer dispensa suas bandas e faz shows sozinha no Reino Unido. Foto: Divulgação

Furacão Amanda Palmer varre Atlântico Norte

(Londres, brpress) - Atriz, pianista, cantora, compositora, blogger e autora do best seller A Arte de Pedir inaugura fase solo em shows no Reino Unido. Por Juliana Resende.

(Londres, brpress) – Amanda Palmer ataca o Reino Unido e a Irlanda. Atriz, pianista, cantora, compositora, blogger e autora do livro A Arte de Pedir (Editora Intrínseca, 304 págs., R$ 34,90 o impresso e R$ 19,90 o e-book), na lista dos mais vendidos do York Times – sobre como bateu o recorde de arrecadação para um projeto pessoal na história do crowdfunding, por meio da plataforma de financiamento coletivo Kickstarter: US$ 1,2 milhão para a produção do álbum Theatre Is Evil – , a performer punk se prepara sua primeira turnê solo.

    Os ingressos para os shows marcados para maio e junho em cinco cidades inglesas, incluindo um único em Londres, dia 08/06, começam a ser vendidos nesta sexta (24/04). Fenômeno artístico tardio considerando a longevidade da cultura digital – Amanda Palmer  fará 39 anos em 30/04 –, ela se destaca por saber usar a internet como poucos artistas para falar com seu público, que além de fiel, dá dinheiro diretamente a ela, que dispensou gravadoras. Vinte e cinco mil pessoas contribuíram com seu disco de estreia, que tinha como objetivo arrecadar US$ 100 mil.

    A Arte de Pedir começou com sua participação no TED Talk, conferência em que músicos vão falar sobre música. A palestra de 13 minutos, disponível no iTunes, inclusive em português, em que apresentou os pontos mais importantes de sua trajetória, já alcançou mais de oito milhões de visualizações no site da conferência e no YouTube – que, aliás, censurou o vídeo Do It With a Rock Star.

Fora do padrão

    A partir dessa experiência ela escreveu A Arte de Pedir – Ou como aprendi a não me preocupar mais e a deixar as pessoas ajudarem. O livro, publicado em novembro nos EUA, mistura memórias com reflexão sobre o fazer artístico fora dos padrões – uma coisa que já até virou meio padrão. E bota fora do padrão nisso. Amanda Palmer deixa Courtney Love no chinelo. É feminista, bissexual, já foi artista de rua, stripper e atualmente espera um bebê de seu marido, Neil Gaiman (sim, mestre das graphic novels e criador de Sandman).

    Com o título de Uma Noite com Amanda Palmer, ela inaugura uma nova fase nas ilhas do Atlântico Norte e promete “uma experência singular”, sendo suas primeiras apresentações sem suas duas bandas: The Dresden Dolls e The Grand Theft Orchestra. Os shows vão misturar canções novas, covers, conversas confessionais, poemas e tudo mais que seu público cultua nela – uma cumplicidade visceral com quem gosta de sua arte, compartilhada intensamente pelas redes sociais (ela tem mais de 1 milhão de seguidores no Twitter).

    Foi pelo Twitter que ela conseguiu viabilizar uma turnê pelos EUA, Europa e Austrália. Ficava hospedada em casa de fãs, que lhe cediam uma cama, um banheiro e café da manhã. Não se assuste se a cena de Amanda Palmer ter seu corpo nu autografado por fãs num show nos EUA se repetir no Reino Unido – e olha que ela foge de qualque padrão de beleza ou gostosura e está mais para Marilyn Manson do que para Rihanna.

(Juliana Resende/brpress)

Confira as datas da turnê de Amanda Palmer no Reino Unido:

An Evening With Amanda Palmer

Maio 2015

Sexta                 29         Bristol St Georges
 
Junho 2015
 
Quarta               03         Manchester RNCM Concert Hall
Sexta                 05         Leeds City Varieties
Segunda           08         London Union Chapel
 
Ingressos a £19.50 e £22.50, em Londres, a pelo site da Live Nation.

Assista ao vídeo de The Killing Type:

Juliana Resende

Jornalista, sócia e CCO da brpress, Juliana Resende assina conteúdos para veículos no Brasil e exterior, e atua como produtora. É autora do livro-reportagem Operação Rio – Relatos de Uma Guerra Brasileira e coprodutora do documentário Agora Eu Quero Gritar.