Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Karyme Hass na coluna Direto da FonteKaryme Hass na coluna Direto da Fonte

Karyme Hass Clareia por Clara Nunes

(Rio de Janeiro, brpress) - Nova darling do samba carioca grava música em homenagem à Clara Nunes, com arranjo de Leonardo Bruno, arranjador de A Beleza que Canta, cultuado álbum da diva.

(Rio de Janeiro, brpress) – Em 02/04, faz 30 anos que Clara Nunes (1942-1983) deixou um vácuo na música brasileira – mais especificamente no samba. Foi a cantora que mais gravou canções de compositores da Portela e a primeira a provar que, sim, sambistas também podiam ultrapassar a marca dos 100 mil discos vendidos no Brasil. Inspiração clara (honrando o trocadilho) para Karyme Hass, mais conhecida como ‘Branka’ nas rodas de samba cariocas,  a estrela ganha a música-homenagem Clareia.

    Foi amor à primeira audição de Karyme pela canção, composta por  Norma Acquarone, habitué de rodas de bambas como Nelson Cavaquinho. “Diferentemente das várias homenagens a Clara Nunes que tenho ouvido, Clareia é uma canção inédita e que dá uma perspectiva de que Clara está presente”, comenta a cantora.

Presença

    Não é a primeira ‘presença’ de Clara Nunes na trajetória de Karyme Hass e de seu recém-lançado disco, Barra da Saia. ‘Branka’ vem sendo comparada a Clara Nunes, por seus trejeitos e repertório, como salientou o apresentador José Loureiro, do Botequim da Globo, programa da Rádio Globo em que foi entrevistada e tocou ao vivo. “Só posso dizer que é uma honra, já que sou muito fã dela”, desconversa.

    Pode até ser coincidência o fato de Toninho Nascimento – autor do sucesso Conto de Areia, na voz da diva – assinar Caminhos (coautoria de Toninho Geraes), outro samba de porte defendido em Barra da Saia. Mas Clareia tem arranjo de cordas assinado por Leonardo Bruno – arranjador do álbum A Beleza que Canta (1969), de Clara Nunes.

    “Norma me contou que teve um sonho antes de Clareia nascer”, revela Karyme. “Estávamos num sótão e havia um baú antigo. De repente, apareceu Clara Nunes, ajoelhou-se e abriu o mesmo”, conta a compositora. “Clara disse que era um presente. E ao lado dela tinha uma moça em pé, da qual não me recordo da face”. 

Quem será a dona deste rosto?

(Texto: Juliana Resende/brpress)

Ouça Clareia aqui.

#brpressconteudo #karymehass #claranunes

Juliana Resende

Jornalista, sócia e CCO da brpress, Juliana Resende assina conteúdos para veículos no Brasil e exterior, e atua como produtora. É autora do livro-reportagem Operação Rio – Relatos de Uma Guerra Brasileira e coprodutora do documentário Agora Eu Quero Gritar.