Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

A Banda de Joseph Tourton: um dos participantes do Pompeia.Beat.estudiope.files.wordpress.comA Banda de Joseph Tourton: um dos participantes do Pompeia.Beat.estudiope.files.wordpress.com

Rec.Beat à paulistana

(São Paulo, brpress) – Em parceria com o tradicional festival de música de Pernambuco, o Sesc Pompeia exalta o som de revelações e artistas internacionais com três dias de shows.

(São Paulo, brpress) – Em parceria com o Rec.Beat, tradicional festival de música do Recife, o Sesc Pompéia apresenta uma versão paulistana do evento, que acontece de quinta (18/02) até sábado (20/02), às 21h. Intitulado de Pompéia.Beat, a série conta com artistas internacionais, além de revelações da cena pernambucana, destacando:  Kevin Johansen & The Nada (ARG), Madensuyu (BEL), Cabezas de Cera (MEX), A Banda de Joseph Tourton, Diversitrônica e Ska Maria Pastora.

Realizado há 15 anos, o Rec.Beat é um dos eventos tradicionais do calendário musical pernambucano e ganhou importância ao se caracterizar como um grande propulsor de bandas ainda não familiares ao grande público. Intercalando atrações internacionais com revelações da cena musical pernambucana, a versão paulistana do projeto terá a mesma essência, destacando uma grande variação de sons e estilos.
 
Encontros

No primeiro dia de festival, o Pompéia.Beat convoca ao palco duas atrações com propostas musicais bem diferentes. O cantor Kevin Johansen, ao lado do grupo The Nada, aparece com uma curiosa mistura de ritmos, fórmula consagrada como a nova face do pop argentino. Na mesma noite, a Banda de Joseph Tourton, cheia de vigor e entrosamento, também sobe ao palco para destacar toda sonoridade da música instrumental.
 
Diretamente da Bélgica, o duo Madensuyu, formado por Stjin e Vervondel, mostra ao público da capital toda irreverência de seu projeto. Com gritos, riffs estranhos, batidas aceleradas e muitos efeitos, a dupla aparece como um dos destaques da segunda noite do festival. No mesmo dia, a banda Diversitrônica, amparada pelos produtores musicais Leo D, William P e Missionário José, também busca o adverso, com uso de laptops, teclados, guitarras, baixo e duas baterias.
 
Para completar, no último dia as apresentações ganham um caráter mais performático, embalada no encontro do frevo com o ska e, também, da música regional mexicana com o rock, principal característica do grupo instrumental Cabezas de Cera. Influenciada principalmente pelo reconhecido grupo Skatalites, os pernambucanos do Ska Maria Pastora fecha o festival com suas batidas jamaicanas “envenenadas” pelos toques do frevo.

Ingressos: De R$ 6,00 a R$ 24,00.

Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93. (11) 3871 – 7700; www.sescsp.org.br
 
(Felipe Kopanski/Especial para brpress)

Comentários

Publicar Comentário