Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Uma das edições do Jazz Mansion: música instrumental para até 250 pessoas em casarões de valor histórico em São Paulo. Foto: Nayara Spina/Grupo CucoUma das edições do Jazz Mansion: música instrumental para até 250 pessoas em casarões de valor histórico em São Paulo. Foto: Nayara Spina/Grupo Cuco

Mansões musicais

(São Paulo, brpress) - Projeto Jazz Mansion comemora um ano de festas jazzy em casarões de valor histórico paulistanos neste domingo (29/01).

(São Paulo, brpress) – Ocupar imóveis paulistanos de valor arquitetônico com música de qualidade é o mote do projeto Jazz Mansion, o primeiro e um dos vários eventos do grupo Cuco que vêm chacoalhando a cidade com outros happenings, como o Baile da Dona Dora, onde só toca MPB – de todas as épocas e vertentes. Neste domingo (29/01), o Jazz Mansion comemora um ano e a tarde instrumental é na Casa das Magnólias, um imóvel dos anos 50 e linhas retas no Morumbi. 

“Começamos a perceber uma necessidade de consumo de jazz e a procurar locações para levar este tipo de evento”, diz Dennis Vianês, um publicitário de 25 anos que compartilha da missão do Cuco: redefinir a forma de consumir cultura e entretenimento na cidade.  O Jazz Mansion começou numa casa dos anos 20, na Vila Madalena, onde funciona o We Hostel, em janeiro de 2016. Depois, partiram à procura de outros imóveis similares. “Vimos que a maioria dos casarões antigos de São Paulo estão vazios e deteriorados. A exceção são aqueles que são alugados para eventos – e é nesse nicho que nos concentramos”, conta Dennis. 

À caça de casarões 

O desafio é encontrar casarões que unem valor histórico e infraestrutura para receber o público – que não passa de 250 pessoas e, por isso, dispensa a necessidade de alvará. A Casa das Magnólias, como é chamada no Airbnb (sim, o imóvel também recebe hóspedes), foi reformada pela atual proprietária, que ainda não conseguiu saber quem  é o arquiteto que assina o projeto. “Só sabemos que foi construída por italianos, num tempo onde só havia mato na região”, recorda Dennis. 

O publicitário e sócio do Cuco revelou que  este ano haverá mais cinco edições do Jazz Mansion e já elegeu seu casarão predileto: a Casa Modernista de Victor Brecheret (1894-1955), o célebre escultor ítalo-brasileiro, autor de obras urbanas como o Monumento às Bandeiras, o popular “deixa que eu empurro” em frente ao Parque Ibiraquera. “É uma casa lindíssima na Rua João Moura, naquele miolinho próximo à Avenida Brasil, mas que só comporta no máximo 100 pessoas. Será um Jazz Mansion especial”, comemora Dennis, que não descarta reformar imóveis antigos de SP com o auxílio de leis de incentivo à cultura. 

(Juliana Resende/brpress)

Serviço Jazz Mansion

Local: Avenida das Magnólias, 1182

Vendas online aqui

Evento no Facebook.

Playlist aqui

Data : 29/01/2017- domingo

Horário: 15h às 22h

Ingresso: R$ 25,00 (não aceita-se cartão Elo) 

Classificação indicativa: Entrada de menores de 18 anos apenas com pais ou responsáveis.

Capacidade: 250 pessoas (não possui acessibilidade motora)

Bandas: Chaiss na Mala, quarteto formado por Vinícius Chagas (saxofone), Éder Martins (guitarra), Rob Ashtoffen (baixo elétrico) e Fernando Amaro (bateria); e Electrip, outro quarteto com Beto Chuquer, Ari Borger (teclado), Antonio Frugiuele (guitarra) e Marcelo Freiras (sax).

Juliana Resende

Jornalista, sócia e CCO da brpress, Juliana Resende assina conteúdos para veículos no Brasil e exterior, e atua como produtora. É autora do livro-reportagem Operação Rio – Relatos de Uma Guerra Brasileira e coprodutora do documentário Agora Eu Quero Gritar.