Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Karl Largerfeld: moda fica menos interessante e consistente sem ele. Foto: Stefan StrumbelKarl Largerfeld: moda fica menos interessante e consistente sem ele. Foto: Stefan Strumbel

Hasta la vista, Karl

(Paris, brpress) - Nossa editora, Juliana Resende, encontrou Karl Largerfeld (1933-2019), de relance, numa visita à Maison Chanel, em Paris, como parte das visitas às locações do filme Coco Antes de Chanel, em 2008.

(Paris, brpress) – Foi uma visão surreal. Mas era real. Nossa editora, Juliana Resende, encontrou Karl Largerfeld (1933-2019), de relance, numa visita à Maison Chanel, em Paris, como parte das visitas às locações do filme Coco Antes de Chanel, em 2008. 

O impressionante é que era um dia normal de trabalho e Karl circulava de óculos escuros, roupa preta e branca e com as indefectíveis luvas pretas de couro – e aquela cara de poucos amigos. A visão daquele figura ímpar, um tanto bizarra, trouxe cenas do filme O Exterminador do Futuro à mente (os traços obtusos de Karl até se parecem com os de Schwarzenegger). 

Ciborgue fashion

A impressão foi de que não era um homem, mas um ciborgue fashion, um robô-sósia do mítico estilista, fotógrafo, figurinista e até cineasta, que se definia como “um diletante profissional” e que se formou em Desenho e História. Por trás da aparência e feições austeras e do estilo germânico crítico e objetivo – pouco compreendido mas idolatrado pelos fashionistas – pulsava um criativo envolvido em diversos projetos de moda e arte, para quem “o melhor afrodisíaco era um novo trabalho”. 

Deixa lojas com seu marca própria, Melissas assinadas, o império Chanel sem diretor criativo e o mundo da moda menos autêntico e consistente. Como Karl não deu uma palavra sequer no encontro na Maison Chanel, aqui vai a entrevista com Audrey Tautou para Elle Brasil, feita em Paris, antes do lançamento do filme sobre Chanel. 

Hasta la vista, baby.

Juliana Resende

Jornalista, sócia e CCO da brpress, Juliana Resende assina conteúdos para veículos no Brasil e exterior, e atua como produtora. É autora do livro-reportagem Operação Rio – Relatos de Uma Guerra Brasileira e coprodutora do documentário Agora Eu Quero Gritar.