Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Tenente Coronel Evanilson de Souza || Créditos: Reprodução Facebook

Racismo também atinge policiais

Policial civil negra aponta cultura de racismo na Polícia Civil do Rio enquanto PM de SP negro sofre ataque racista em meio a conferência virtual

(São Paulo, brpress) – Muito se fala do racismo da polícia contra civis. Mas pouco se fala do racismo sofrido por policiais – como o tenente-coronel da Polícia Militar Evanilson de Souza, negro e vítima de ataque virtual durante uma conferência sobre direitos humanos.

Em entrevista ao documentário Agora Eu Quero Gritar, a policial civil do Rio Janaína Matos, negra e integrante do movimento Policiais Antifascismo, dá ênfase à cultura racista na corporação. Ela também fala do racismo de ambos os lados – de outros policiais contra ela e contra civis –  nesta entrevista ao El País.

Em São Paulo, o tenente-coronel da PM Evanilson de Souza teve de encerrar sua aula na conferência internacional virtual organizada pelo Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (USP), na última terça-feira (09/02), após ataques publicados na tela compartilhada. Ele já havia relatado ter sido vítima de racismo anteriormente a este episódio.

O ouvidor da Polícia Militar de SP, Elizeu Soares Lopes, que também é negro, prestou solidariedade ao tenente-coronel. Segundo a PM, Evanilson deve registrar um Boletim de Ocorrência.

Manual de Direitos Humanos

A ideia de se reformar o manual de Direitos Humanos da PM de  SP, originalmente de 1998, é fazer com que os policiais paulistas reflitam e se conscientizem de que o racismo está presente no dia a dia nas ruas e identifiquem atos discriminatórios próprios e de colegas que possam ser corrigidos. O novo manual deve ficar pronto no segundo semestre de 2021. 

“Não será uma caça às bruxas, mas não vamos mais tolerar discriminações de nenhuma forma”, diz o tenente-coronel. Com seu trabalho, ele pretende para “contribuir para a desestruturação do racismo estrutural”.

#brpressconteudo #racismo #policiaisnegros #racismonapolicia