Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Startups brasileiras devem se beneficiar com a abertura da agência da Apex no Vale do Silício. Foto: DivulgaçãoStartups brasileiras devem se beneficiar com a abertura da agência da Apex no Vale do Silício. Foto: Divulgação

Apex abre agência no Vale do Silício

(Brasília, brpress) - Objetivo da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) é proporcionar intercâmbio entre startups brasileiras a cultura de negócios do Valley.

(Brasília, brpress) – De olho na proliferação de grupos internacionais de empreendedores dedicados ao atendimento e apoio a startups brasileiras, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) está abrindo uma representação no Vale do Silício. “O primeiro objetivo é estabelecer um relacionamento mais próximo das startups brasileiras com este ambiente e a cultura de negócios do Valley, abrindo portas para vendas no exterior e ou mesmo para captação de investimentos estrangeiros”, diz Rafael Henrique Rodrigues Moreira, coordenador-geral de software e serviços de TI do Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação (MCTI).

Hora certa, lugar certo

    Ratificando o mantra “É um bom momento para ser empreendedor no Brasil”, proferido pelo experiente investidor americano Ted Rogers, que mudou para o país e fundou a Arpex, uma das mais ativas firmas de venture capital abaixo da linha do Equador, Moreira anuncia o lançamento do prorgrama Startup Brasil, no final de novembro, que, dentre outras várias medidas de incentivo, está a abertura de uma unidade do MCTI no Vale do Silício. “Ela será destinada tanto a startups fomentadas pelo programa quanto outras empresas nacionais e estrangeiras que queiram apoio para internacionalização e/ou entrada no mercado brasileiro”, explica Moreira.

    Ele acrescenta que mais detalhes do modelo operacional da unidade do MCTI no Valley – criado com base em standards do benchmarking internacional para o setor, numa ação coordenada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) – serão divulgados no decorrer do processo, que vai começar com o edital para escolha de seis aceleradoras, em janeiro de 2013, que vão trabalhar no programa Startup Brasil, selecionando, em março, de 40 a 80 startups (sendo até 25% delas estrangeiras). Os recursos previstos pelo governo são de cerca de R$ 40 milhões até 2014. “Cada startup selecionada terá aporte de R$ 200 mil a fundo perdido”, diz Moreira.