Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Homenagens na estátua de Nelson Mandela na Praça do ParlamentoHomenagens na estátua de Nelson Mandela na Praça do Parlamento

Admiradores homenageiam Mandela

(Londres, brpress) - Enquanto flores, velas e cartões se multiplicam na estátua do líder sul-africano, prefeitura londrina cancela transmissão de funeral em telão na Trafalgar Square. Por Patrícia Dantas.

(Londres, brpress) –  Durante toda a semana, as homenagens a Nelson Mandela continuam aocntecendo ao redor do mundo com muitos tributos e agradecimentos ao ex-presidente sul-africano, ícone na luta contra o segregacionismo racial falecido aos 95 anos na última quinta-feira (05/12). Em Londres – onde Mandela comemorou seu 90o. aniversário, em show histórico no Hyde Park, e onde as filhas mais novas do líder, Zindzi e Zenani, souberam da morte dele na pré-estreia do filme Mandela: Longo Caminho para a Liberdade – não poderia ser diferente. Mas a prefeitura  desistiu de colocar um telão na Trafalgar Square, para que cerca de 50  mil pessoas assistissem ao funeral ao vivo neste domingo (15/12), direto do vilarejo de Qunu, situado na província sul-africana do Cabo Oriental, onde Mandela cresceu e desejava ser enterrado.

Ingleses, sul-africanos e descendentes de todas as etnias permanecem acendendo velas, depositando flores e mensagens de afeto em frente à estátua de Nelson Mandela na Praça do Parlamento. É o caso da funcionária de ONG Ayshea Farooq, 39 anos, que trouxe as três filhas ao local onde, em 2007, presenciou Nelson Mandela ao vivo e em cores para  inaugurar sua estátua em frente às Casas do Parlamento britânico.

Exemplo para futuras gerações

    “Estive aqui em 2007 com minha irmã para a inauguração da estátua. Foi um dia feliz no qual pude ver Nelson Mandela pessoalmente. Hoje trouxe minhas filhas para prestar a última homenagem a ele. É um momento histórico para esta nova geração”, diz Ayshea, esforçando-se para conter as lágrimas.

    “Vivemos em um país rico e às vezes esquecemos que muitas pessoas estão sofrendo ao redor do mundo. Quero que minhas filhas entendam a importância que Mandela teve para a humanidade e espero que um dia elas possam fazer o mesmo com seus filhos”.

    Para a irmã de Ayshea, a professora de história Yasmin Ahmed, de 27 anos, voltar à Praça do Parlamento após seis anos da inauguração da estátua em homenagem a Mandela tem um significado especial. “Vim aqui mostrar meu respeito a Mandela. Quando participei da inauguração, em 2007, não tinha ideia da proporção do que ele representava.”

    Hoje, sendo professora de história em Oxford, a perpepção de Yasmin mudou. “Tirei algumas fotos para mostrar aos meus alunos e vou discutir na sala de aula quem foi e o que fez esse grande homem”, afirmou Yasmin.

Aula de história

    A exemplo da família inglesa, o casal Nigel Hulme e Alisson Beetom Hilder se mostrou bastante emocionado ao comparecer à Praça do Parlamento para prestar  tributo ao ex-preso político mais conhecido no mundo.
 
    Nascido em Londres e educado na África do Sul, Nigel ressaltou a importância do legado de Nelson Mandela. “É uma grande perda. Mandela merece paz depois de tanta violência, assim como a África do Sul e todos seus cidadãos merecem paz. Ele uniu um país, somos uma grande família hoje graças a ele. Temos que continuar o trabalho dele para a África do Sul continuar em progresso e sobreviver”, compara.

    Para o cidadão sul-africano, “todo ser humano precisa aprender uma lição de vida com Mandela”. Nigel continua: “Amor e reconciliação são valores cruciais para nossa existência; rancor e armas não levam a lugar nenhum”, acredita.

    “Mandela nos ensinou a não julgar as pessoas pela cor da pele ou religião. Ele foi uma figura extraordinária, precisamos deixar de ter preconceito e ser mais tolerantes uns com os outros”, acrescentou Alisson.

Semana de comemorações

    As homenagens a Nelson Mandela continuaram pelo menos até o último domingo (08/12) em frente à South Africa House, sede da diplomacia sul-africana no Reino Unido, localizada em Trafalgar Square, no centro de Londres.

    Seguindo o primeiro dia de cerimônias oficiais em memória a Mandela na África do Sul, milhares de pessoas se reuniram para cantar, rezar e celebrar a vida de Madiba, como era conhecido em sua terra natal.

    Quem chegou cedo ainda teve a oportunidade de assinar o livro de condolências disponível dentro da embaixada sul-africana, mostrando respeito e afeição pelo grande líder-símbolo da luta contra o Apartheid.

(Patrícia Dantas/Especial para brpress)