Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Raymond Lee e Holly Hunter em cena de Here and Now. Foto: DivugaçãoRaymond Lee e Holly Hunter em cena de Here and Now. Foto: Divugação

Here and Now expõe América liberal em crise

(São Paulo, brpress) - Nova série de costumes da HBO gira em torno de uma família americana multicultural e liberal, formada por Tim Robbins e Holly Hunter (imagine se Brangelina ainda estivesse junto e com 60 anos). Então… Por Juliana Resende.

(São Paulo, brpress) – Here and Now, nova série de costumes da HBO que estreia simultaneamente nos EUA, em 11/03, e no Brasil à meia-noite do horário de verão do dia 12, passa longe da grandiosidade de Game of Thrones. Contemporânea, gira em torno de uma família americana multicultural e liberal (imagine se Brangelina ainda estivesse junto e com 60 anos). Então…

O casal prafrentex politicamente correto é formado por Tim Robbins (Greg) e Holly Hunter (Audrey). Já é um bom começo. Mas Here and Now é escrita pelo esquisitão Allan Ball (de A Sete Palmos, True Blood e Oscar de Melhor Roteiro por Beleza Americana). É claro que a série não é o que parece e os personagens têm várias camadas e neuroses. Têm, ainda, um lado selvagem que sempre vem à tona. 

‘Experimento’

Tim Robbins (envelhecido e quase irreconhecível) resumiu seu personagem ao Los Angeles Times: “Não é comum me oferecerem papéis de homens cujas vidas estão desmoronando”. O veterano ator aceitou logo a oferta para encarnar o professor de filosofia insatisfeito com o casamento e com o “experimento” – como ele chama sua família.

Três filhos adultos são adotivos e de três países diferentes (com os quais os EUA têm “dívidas” por interferência política) – a liberiana Ashley (Jerrika Hinton), o vietnamita Duc (Raymond Lee) e o colombiano Ramon (Daniel Zovatto). A mais nova, biológica, é Kristen (Sosie Bacon), de 17 anos. 

Deprê 

Todos têm problemas e já no primeiro episódio (que a reportagem da brpress assistiu a convite da HBO Brasil, em São Paulo), ficam evidentes suas ansiedades, lutas e segredos mais obscuros. O patriarca Greg escancara a depressão em sua festa de 60o. aniversário: “Hoje vejo que tudo aquilo em que acreditávamos não serviu para nada”, diz, no discurso em frente aos familiares, agregados e amigos. 

Há uma nuvem de fumaça sobre a vida de conforto material dessa família (e das pessoas que a cercam). Seu cotidiano sofisticado, na meca hipster em que se transformou a cidade de Portland, Oregon, onde mora, tem algo fútil e muito errado. Temos sexo (inclusive gay) e drogas em profusão, temos dinheiro e sucesso. Mas alguma coisa está fora da ordem. 

Sobrenatural

E como não poderia faltar em criação de Allan Ball, há ainda o sobrenatural. Trump é uma realidade e não um pesadelo fictício. Para piorar, Ramon, o filho hispânico, tem visões meio poltergeist, meio promonitórias. E isso também é uma realidade. A mãe fica perturbada (e ainda nem sabe que seu marido está tendo um caso com uma prostituta).

“Gosto de testar novas fórmulas”, diz Ball, também ao LA Times. Problema 1: talvez o roteirista tenha passado dos limites em Here and Now. Mas sua excelência vem desse mix mundano-fantástico com o selo True Blood, a série que tornou vampiros sexies novamente. Problema 2: há pouca ou nenhuma química entre Robbins e Hunter (eles foram primos na comédia Miss Firecracker, em 1989).

Primal

Não dá para saber se a série fará sucesso ou não (o horário é ingrato no Brasil), mas Tim Robbins está animado: “Ball é mestre em trabalhar com o primal, aquilo que é incontrolável em todo ser humano. Amo o fato de ele não ter medo de mostrar isso”. O ator está interessado nas questões e dores da América do muro na fronteira com o México porque é tema da nova peça do Actors’ Gang, seu grupo de teatro.  

A peça The New Colossus reúne 12 atores descendentes de refugiados e imigrantes, contando histórias pessoais. As perguntas que tentam responder são: “Que país somos? Que país queremos ser?”. Here and Now também quer saber. 

(Juliana Resende/brpress)

Assista ao trailer de Here and Now: 

Juliana Resende

Jornalista, sócia e CCO da brpress, Juliana Resende assina conteúdos para veículos no Brasil e exterior, e atua como produtora. É autora do livro-reportagem Operação Rio – Relatos de Uma Guerra Brasileira e coprodutora do documentário Agora Eu Quero Gritar.