Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Aidan Turner em cena de Loving Vincent. Foto: DivulgaçãoAidan Turner em cena de Loving Vincent. Foto: Divulgação

Loving Vincent: tributo a Van Gogh

(Londres, brpress) - Filme é primeiro longa-metragem de animação mesclando técnicas de CGA, 3D e digitalização das pinturas mais famosas do artista.

(Londres, brpress) – Um incrível técnica de animação faz o diferencial do didático Loving Vincent, filme sobre o último ano de vida de Vincent Van Gogh (1853-1890), escrito e realizado por Hugh Welchman (vencedor do Óscar de Melhor Curta Metragem por Pedro e o Lobo, em 2006) e pela pintora Dorota Kobiela. 

Loving Vincent é o primeiro longa-metragem de animação mesclando técnicas de CGA (Computer Generated Animation), 3D e digitalização das pinturas mais famosas de Van Gogh. A ideia partiu da transformação de  cartas, quadros e depoimentos sobre pintor holandês em uma obra única. 

Um elenco bacana – com destaque para o casal do seriado britânico Poldark, Aidan Turner e Eleanor Tomlinson, além de Saoirse Ronan e Jerome Flynn – faz a alegria de um roteiro morno, talvez reflexo da vida triste e tortuosa do próprio Van Gogh, até sua morte prematura, aos 37 anos. Seus últimos dias são contados por pessoas retratadas pelo pintor em suas obras pós-impressionistas.

Produção intensa

No total, mais de 60 mil desenhos formam o filme, com duração de 95 minutos. Parece querer fazer jus à produção intensa de Van Gogh – foram mais de 800 quadros produzidos em uma década, numa rotina espartana –, cujo valor e genialidade foram reconhecidos apenas após sua morte. 

Loving Vincent foi um dos destaques do 61o. BFI London Film Festival e ainda não tem título em português, apesar de estar previsto para estrear no Brasil em 16/11.  

(Juliana Resende/brpress)

Assista ao trailer de Loving Vincent:

Juliana Resende

Jornalista, sócia e CCO da brpress, Juliana Resende assina conteúdos para veículos no Brasil e exterior, e atua como produtora. É autora do livro-reportagem Operação Rio – Relatos de Uma Guerra Brasileira e coprodutora do documentário Agora Eu Quero Gritar.

Comentários