Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Zumbilândia 2: explorando novos territórios inabitados. Foto: Sony PicturesZumbilândia 2: explorando novos territórios inabitados. Foto: Sony Pictures

Zumbilândia: ‘A vida é mais que sobreviver’

(brpress) - Pegada bem humorada é um prato cheio para um filme com muita ação, sangue e rock ‘n’ roll. Já no trailer dá para medir o ritmo de Zumbilândia: Atire Duas Vezes, ao som de Shoot To Thrill, do AC/DC. Por Maria Carolina Soares.

(brpress) – “Regra Nº2: Atire duas vezes.” Essa regra nunca foi tão importante na Zumbilândia. E não é só porque o segundo filme da franquia, Zumbilândia: Atire Duas Vezes (Zombieland: Double Tap, EUA, 2019), carrega esse nome. Nove anos depois do primeiro filme – e do início do apocalipse zumbi –, Columbus (Jesse Eisenberg), Tallahassee (Woody Harrelson), Wichita (Emma Stone – que a brpress entrevistou em Londres) e Little Rock (Abigail Breslin) já se acostumaram a viver em uma terra sem lei. E, até então, quase sem humanos.

O problema é que os zumbis também evoluíram. Eles estão mais rápidos, mais inteligentes e mais difíceis de matar. Um prato cheio para um filme com muita ação, sangue e rock ‘n’ roll. Já no trailer dá para medir o ritmo do filme ao som de Shoot To Thrill, do  AC/DC.

A galera humana mora na Casa Branca como uma família (disfuncional, é claro). O quarteto está explorando novos territórios inabitados, quando percebem que existem mais (e muito mais) sobreviventes. Junte-se a isso alguns conflitos entre a família e está dado mote para uma nova dinâmica na Zumbilândia.

Humor e cultura pop

Assim como no primeiro filme, o humor é o elemento mais presente nos 100 minutos de tela, com inúmeras referências à cultura pop, como os nomes dados aos zumbis: Homer (Os Simpsons) para os mais burros; Hawking (homenagem ao físico Stephen Hawking)  para os inteligentes e T-800 (do filme Terminator) para os novos e mais difíceis de matar.

 Além disso, o estilo de narração e conversa do espectador continuam presentes, com as 72 regras para sobreviver na Zumbilândia, criadas por Columbus, aparecendo na tela em momentos oportunos. A trilha sonora tem um papel importante, juntando  Metallica, Bob Dylan, Ice Cube e  Bob Marley and the Wailers. 

Sarcasmo

Outro ponto que se destaca na produção é o roteiro. Incrivelmente sarcástico, ele funciona bem tanto para quem já é fã da franquia, com referências ao primeiro filme, como para aqueles que estão conhecendo a história pela primeira vez. 

Os atores Bill Murray e Dan Aykroyd  interpretam eles mesmos. Vale lembrar que, no primeiro filme, Murray é acidentalmente morto por Columbus após ser confundido com um zumbi.

Zumbilândia: Atire Duas Vezes é uma sequência majestosa para um primeiro filme já bastante divertido. Seu maior ponto positivo reside em não se levar a sério. Boa pedida para quem está cansado de tanta pretensão.((Maria Carolina Soares, especial para brpress)

Assista ao trailer de Zumbilândia: Atire Duas Vezes: