Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Helena Bonham Carter no red carpet da première do filme SuffragetteHelena Bonham Carter no red carpet da première do filme Suffragette

Helena Bonham Carter fala sobre seu papel em Suffragette

(Londres, brpress) - Edith Ellyn é homenagem à Edith Garrud, que ensinava jiu-jitso às integrantes do movimento sufragista. Por Juliana Resende.

(Londres, brpress) – Aos 50, a atriz inglesa Helena Bonham Carter não pode reclamar dos papéis que tem conquistado – se são grandes, ela corresponde; se são menores, ela os engrandece. É assim com a médica rebelde no filme Suffragette, Edith Ellyn. “Quando li sobre essa maravilhosa mulher, fiquei intrigada com sua força e determinação”, conta.

    O nome da personagem – a mais radical entre todas as suffragettes – é uma homenagem à Edith Garrud, uma galesa que se tornou instrutora de jiu-jitso enquanto integrante do movimento sufragista, no intuito de ajudar as mulheres a se defenderem das investidas violentas da polícia durante as manifestações pelo direito feminino ao voto, no começo do século 20, na Inglaterra.

À luta

    “Um dos argumentos mais idiotas contra o direito feminino ao voto era de que as mulheres não podiam lutar e defender o país nas guerras. Mas se Edith Garrud, que era baixinha e atarracada podia, todas podiam”, diz Helena. A atriz disse que aprendeu um pouco de auto-defesa e que o fato de ser uma luta baseada em habilidade e não em força bruta a fascinou ainda mais e que era perfeito para o contexto do filme.

    Suffragette (ainda sem data de estreia no Brasil) abriu o 59o. BFI London Film Festival, em 07/10/15, com uma première marcada por manifestações da ONG Sisters Uncut, contra cortes no orçamento do governo britânico destinado a verbas contra a violência doméstica. “Tudo a ver com o filme, certamente”, disse Helena, no Red Carpet.

    Caricata e dramática ao mesmo tempo, Helena Bonham Carter trafega com desenvoltura entre personagens tão diversos quanto a Fada-Madrinha, em Cinderela, a Rainha Elizabeth, em O Discurso do Rei, a mulher do barbeiro carniceiro da Fleet Street, em Sweeney Todd. Prometido ainda para 2015, o filme 55 Steps, traz Helene em mais um papel feminista e histórico: Eleanor Reise, que lutou pelo direito dos doentes mentais conscientes de terem a última palavra sobre os medicamentos dados a eles nos hospitais.   

Leia mais sobre o filme Suffragette na nossa reportagem especial para a revista TPM, aqui.

(Juliana Resende/brpress)

Juliana Resende

Jornalista, sócia e CCO da brpress, Juliana Resende assina conteúdos para veículos no Brasil e exterior, e atua como produtora. É autora do livro-reportagem Operação Rio – Relatos de Uma Guerra Brasileira e coprodutora do documentário Agora Eu Quero Gritar.

Comentários

Publicar Comentário