Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

A IMAX tem realizado grandes investimentos nessa áreaA IMAX tem realizado grandes investimentos nessa área

Realidade virtual é mais cada vez mais real

Como George Lucas, Steven Spielberg e Christopher Nolan, sua marca pode estar associada a este novo e fascinante universo. Listamos dez motivos para apostar em conteúdo sobre realidade virtual.

(bpress) – Realidade virtual (ou VR, do inglês virtual reality) é cada vez mais real. A tecnologia promete mudar o futuro da humanidade, ganhando espaço em diversas áreas da sociedade, da música aos esportes, passando pela medicina e pela segurança pública. O cinema não fica de fora, com o lançamento do filme em realidade virtual e aumentada Eleven Eleven, pela NBCUniversal Networks (NBCU). 

 Cineastas como George Lucas (Star Wars), Steven Spielberg (Jogador No. 1) e Christopher Nolan (Dunkirk) – que nossa editora, Juliana Resende, entrevistou em Londres no lançamento A Origem, investem pesado na realidade virtual. Mas foi o diretor mexicano Alejandro Iñarritú (Birdman) que ganhou o um Oscar como filme em VR  Carne e Areia, sobre a imigração ilegal para os EUA. 

Como estes premiados realizadores, sua marca pode estar associada a este novo  e fascinante universo. Listamos dez motivos para apostar em conteúdo sobre realidade virtual: 

1) O mercado de realidade virtual e realidade aumentada vai ultrapassar o de TV em 2025, movimentando cerca de US$ 110 bilhões. Fonte: Goldman Sachs

2) “Essa é a nova forma de comunicação, a nova forma de contar histórias. A realidade virtual é inexorável e vai tomar a vida de todos nós em breve”, diz o cineasta Tadeu Jungle, cujo filme em VR Rio de Lama será exibido na 8ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, que terá a seleção Realidade Virtual, a exemplo de festivais como SXSW, Veneza e Cannes. 

3) “Na Cinemacon – maior feira do mercado cinematográfico do mundo –, participei de uma experiência em realidade virtual na divulgação do filme A Múmia, misturando 4D com poltronas que se movem. Na cena do avião, era possível se sentir num ambiente com gravidade zero, ao lado do Tom Cruise e da Annabelle Wallace. Era como se você fosse alguém da produção participando do making of ao lado das estrelas de Hollywood”, diz Marcelo Lima, diretor de Expocine, ao Meio & Mensagem.

4) A IMAX tem realizado grandes investimentos nessa área, com seus Centros de Realidade Virtual. São espaços equipados com óculos para comercializar a experiência em cinemas que tenham salas IMAX. Os primeiros a receberem a tecnologia são um cinema em Los Angeles e outro em Manchester (Reino Unido).

5) A Fox firmou parceria com a Felix & Paul, produtora especializada em realidade virtual, para criar conteúdo imersivo inspirado em filmes e personagens do estúdio.

6) A MGM liderou o fundo de investimentos para a startup Survios, enquanto a Sony e a Disney investiram na produção de conteúdo em realidade virtual. A Disney investiu US$ 65 milhões no final de 2015 para auxiliar a inclusão de VR na produção cinematográfica e também na exibição.

7) O supervisor de efeitos especiais John Gaeta é um dos responsáveis pelo ILMxLab, divisão de entretenimento imersivo da Lucasfilm que cria conteúdos de realidade virtual para grandes produções do estúdio, como Star Wars.

8)  Entre março e julho de 2016, o site PornHub havia recebido cerca de 30 filmes em realidade virtual. Número que subiu para 2,6 mil no final do primeiro semestre de 2017.

9) A Arvore, uma das principais empresas nacionais que atuam no segmento das tecnologias imersivas, passou rapidamente de 4 para 70 funcionários, prevê sete parques temáticos de VR até o fim de 2019 e captou investimento de US$ 5 milhões. O exibidor de filmes e jogos em VR Voyager tem dois centros em São Paulo. 

10) Brasileiro Hugo Barra deixa liderança de realidade virtual no Facebook e agora é responsável por parcerias globais de realidade virtual para a empresa, em NY.

Juliana Resende

Jornalista, sócia e CCO da brpress, Juliana Resende assina conteúdos para veículos no Brasil e exterior, e atua como produtora. É autora do livro-reportagem Operação Rio – Relatos de Uma Guerra Brasileira e coprodutora do documentário Agora Eu Quero Gritar.