Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

FOTO – Cópias individuais de CDs não serão criminalizadas na nova lei. blig.ig.com.brFOTO – Cópias individuais de CDs não serão criminalizadas na nova lei. blig.ig.com.br

Nova lei de direitos autorais

(brpress) – Ministério da Cultura disponibiliza texto de modernização da lei, que descriminaliza cópias individuais de CDs, para consulta popular até 28/07.

(brpress) – O Ministério da Cultura disponibilizou em seu portal, uma proposta de modernização da Lei do Direito Autoral para consulta pública. As mudanças visam “harmonizar” os direitos dos criadores e artistas com o “direito de acesso à cultura de todos os brasileiros”, segundo mensagem no site do órgão. O uso digital da música é que mais se destaca, já Cópias individuais de CDs não serão criminalizadas na nova lei.

O comunicado também afirma que “a lei atual já era incapaz de garantir a plena realização do direito do autor e de ser uma alavanca da economia da cultura. Com o surgimento do ambiente digital, se mostra mais defasada e inadequada”.

A consulta pública, que acontece até o dia 28 de julho, é uma maneira de incorporar sugestões da população para aprimorar leis e políticas sociais. Os interessados podem participar por meio do portal do Ministério, dedicado ao assunto.

Os internautas devem fazer um cadastro e indicar se concordam totalmente, parcialmente ou discordam da proposta. Nos dois últimos casos, é preciso escrever uma sugestão e justificar as críticas feitas.      
Cópias

O ministro da cultura Juca Ferreira explicou que a revisão da lei faz parte de um movimento global de adequação à tecnologia digital. “Todas as tentativas de se enquadrar o mundo digital em padrões analógicos se mostraram um fracasso. O governo brasileiro quer criar um sistema que estimule o pagamento do autor na internet. O que a gente quer é legalizar”, afirmou.

Ferreira defendeu também que “o autor deve ser sempre remunerado”, mas o reconhecimento da cópia individual – sem uso financeiro – também é um instrumento para garantir “o acesso da sociedade ao conhecimento”.

Comentários

Publicar Comentário