Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

FOTO - Beltrão e cia.: street dance brasileira sucesso na Europa.DivulgaçãoFOTO – Beltrão e cia.: street dance brasileira sucesso na Europa.Divulgação

Beltrão leva hip hop à Europa

(Genebra, brpress) - Bruno Beltrão diz que a street dance made in Brasil desperta mais interesse no exterior e serve para estravasar violência. Por Rui Martins.

(Genebra, brpress) – Bruno Beltrão e seu Grupo de Rua levaram com sucesso o hip hop brasileiro a dez cidades suíças, durante o Festival Steps. Já conhecido de outras turnês, Beltrão tem viajado pelo mundo todo com seu grupo. Desta vez, fez toda a Europa terminando em Portugal, depois de Suécia e Finlândia.

 Bruno Beltrão começou dançando aos 13 anos, no Clube Naval, em Niterói (RJ), sua cidade natal. Seu professor de hip hop foi o israelense Yoram Szabo, vindo de Nova York. Até ali, Beltrão só assistia a videoclipes, mas com o israelense teve um contato com o hip hop ou street dance, literalmente, dança de rua, influenciado pelo jazz e pelo balé. Com a partida do professor, ele e um amigo decidiram ensinar o que haviam aprendido de hip hop.

 Em 96, formou seu primeiro grupo com o qual participou, durante alguns anos, de festivais amadores. Foi quando entrou para a Faculdade de Dança que Beltrão diz ter aprendido as ferramentas que lhe permitiram apresentar os espetáculos de hoje. Começou o processo criativo e o espetáculo visto na Suíça, sua sexta peça hip hop.

 Modéstia
 Modesto, Beltrão diz que cada peça é uma etapa no aprendizado, dificultado pelas dificuldades encontradas no Brasil para se fazer dança. “Só dá para continuar”, diz ele, “porque encontramos, aqui fora, gente interessada no nosso trabalho”.

 O bailarino continua: “Só agora conseguimos um patrocínio da Petrobras, mas demorou, foram 13 anos sem apoio. Nosso grupo de hoje é formado de gente que pertenceu a outros grupos que foram ficando pelo caminho”. Para Beltrão, “o sucesso do hip hop vem do fato de servir para estravasar a violência latente nos centros urbanos”.

 A atual peça do Beltrão, H3, já virou o mundo em 120 apresentações em Singapura, Japão e Europa, onde o espetáculo foi co-produzida por festivais na França, Bélgica e Espanha. Somente na Suíça, o grupo se apresentou em dez cidades. – bem menos que no Brasil. 

Nu

 Até no Oriente Médio, Beltrão e sua cia. já excursionaram, incluindo países como Jordania, Síria, Israel, Egito e Tunísia, onde tiveram problemas com as autoridades locais por que um dos dançarinos ficava quase nu. Resultado: intervenção da polícia e interrupção da peça.

Comentários: