Acesse nosso conteúdo

Populate the side area with widgets, images, and more. Easily add social icons linking to your social media pages and make sure that they are always just one click away.

@2016 brpress, Todos os direitos reservados.

Ato exige impostos na nota fiscal

(São Paulo, brpress*) - Campanha Não Veta Dilma pede que presidente sancione lei para que consumidor exerça direito de saber – no ato da compra – quanto está pagando de impostos sobre qualquer mercadoria.

(São Paulo, brpress*) – Um ato pelo direito de informação do consumidor de saber – no ato da compra – quanto ele está pagando de impostos sobre qualquer mercadoria. Foi o que realizou a campanha Não Veta Dilma, reunindo, na manhã desta quarta (05/12), diversas lideranças políticas e representantes de associações e da sociedade civil, no Masp – Museu de Arte São Paulo.

    Como acontece em países desenvolvidos, como Estado Unidos e Reino Unido, entidades representantes de empresários, trabalhadores e profissionais liberais participaram do ato em favor da sanção do Projeto de Lei 1472/07, que trata da colocação da estimativa do valor dos impostos nas notas fiscais , aprovado por maioria no Congresso Nacional, e por mais de 1 milhão e 500 mil cidadãos brasileiros, subscritos em assinaturas de apoio.

Custo-benefício

    O movimento Não Veta Dilma acredita que o fato de o Brasil ter implementado um  sistema que informe o consumidor no ato da compra sobre o quanto ele está pagando de impostos contribuirá para aumentar a transparência do custo do setor público pago por todos os brasileiros, oferecendo ao cidadão contribuinte a possibilidade de avaliar o peso da tributação e o retorno em termos de serviços e benefícios.

    Representando o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, o diretor do Comitê dos Jovens Empreendedores (CJE) da Fiesp, Sylvio Gomide, lembrou que as entidades da indústria paulista realizam, todos os anos, o Feirão do Imposto, que mostra à população o volume dos tributos embutidos em produtos e serviços, “uma forma de conscientizar, mobilizar e protestar contra alta carga tributária que nós temos”, afirmou Gomide.

    O evento, organizado pela Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), contou com a presença do idealizador do projeto de lei, o vice-governador do Estado de São Paulo e deputado Guilherme Afif Domingos. “O Brasil é o campeão mundial de carga tributária sobre consumo. Nós não tributamos renda, tributamos consumo. Nós estamos conscientemente transformando súditos em cidadãos. É o cidadão que vai cobrar, por isso o título da nossa campanha era ‘pago, logo existo’. Este é o principio que vai nos levar à grande revolução da cidadania no Brasil”, enfatizou Afif.
    
Impacto
    
    O número excessivo de impostos embutidos na compra dos produtos tem impacto direto na mesa do brasileiro. Do valor total de um pacote de arroz, por exemplo, 18,65% representa cobrança de impostos. O tradicional peru, que custa em média R$ 58,80, sairia para o consumidor por R$ 41,72 sem a incidência de tributos. Já uma garrafa de espumante, com custo de R$ 22,00, valeria R$ 8,80 sem a cobrança dos impostos.

    Os preços impressionaram o consumidor Rogas Mathias, que visitou o minimercado instalado no vão livre do Masp, onde está discriminada a porcentagem dos tributos embutidos nos alimentos. Mathias acredita que este tipo de mobilização é importante para alertar os políticos sobre as reais demandas da sociedade.

    “O consumidor precisa saber o que está pagando de imposto. Com isso, ele [consumidor] terá uma posição para cobrar tudo aquilo que paga de imposto e onde está sendo empregado. Simplesmente ele é descontado e não serve para o que deveria servir, como os investimentos em educação, cultura e moradia.”

(*) Com reportagem de Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp.